TRE registra oferta de cesta básica, dinheiro e outros crimes eleitorais

Este é o segundo boletim divulgado pelo órgão neste domingo

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Até às 13h deste domingo (7), 27 eleitores foram presos por crimes eleitorais, segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT). Entre eles estão dois candidatos e um menor, que tentava negociar cesta básica em troca de voto. Este é o segundo balanço divulgado pelo órgão.

Conforme o juiz auxiliar da Presidência do TRE-MT, Lídio Modesto, novos casos de boca de urna foram registrados nos municípios de Vila Bela da Santíssima Trindade, Tangará da Serra, Guarantã, Araputanga, Sorriso e Campinápolis.

A maior incidência, até o momento, é do crime da boca de urna. Apenas no município de Sorriso (400 km de Cuiabá), 13 casos foram registrados. No município, o assessor de um político foi preso com R$ 8 mil, que supostamente seriam utilizados para compra de votos. Ele foi encaminhado para a cadeira do TRE.

Leia também:
Justiça flagra cabos eleitorais pagando entre R$ 50 e R$ 300 por voto em MT

Na segunda parcial, chamou a atenção a prisão da candidata Aparecida Ribeiro de Oliveira, a “Cida do Camelô”, que concorre a deputada estadual pelo PSDB. Ela foi presa por suspeita de boca de urna. Quando foi abordada, ela tinha material eleitoral dentro de seu carro.

Outra prisão encaminhada ao TRE foi a de um eleitor querendo justificar o voto por uma terceira pessoa. Ele foi preso em Guarantã do Norte (670 km de Cuiabá) com o título da outra pessoa.

No primeiro balanço, divulgado às 10h, 16 pessoas já haviam sido presas. Também, uma urna, localizada em Tangará da Serra, precisou ser trocada por problemas de energia. Já na segunda parcial, o juiz informou que outras 13 também precisaram ser substituídas. Não foi informado qual o problema.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“A partir de 2ª volto ao trabalho no MTI”, diz Moisés Franz, prevendo o fracasso nas urnas
Próximo artigoEleitores de MT procuram a polícia para denunciar erro em urnas no voto para presidência