Travesti é presa por morte violenta em Cuiabá

Homicídio aconteceu na noite de Natal e a suspeita foi presa nessa segunda-feira (18)

Imagem Ilustrativa

Uma travesti de 30 anos foi preso nessa segunda-feira (18) por um homicídio ocorrido na noite de Natal, 25 de dezembro de 2020, no Bairro Altos da Glória, em Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, a suspeita matou José Carlos Ribeiro, 50 anos, para vingar a suposta tentativa de estupro que ele teria cometido contra sua sobrinha.

O crime

No dia 25 de dezembro, José Carlos foi encontrado morto na cama, em sua residência, com ferimentos causados por instrumentos contundentes e cortantes. Um pedaço de madeira com um prego na ponta foi encontrado no local.

A Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá deu início às investigações imediatamente e o delegado Caio Fernando Albuquerque descobriu que uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica havia estado no local.

A travesti, de 30 anos, foi identificada e, em depoimento, confessou ter matado José Carlos.

Confissão

A suspeita relatou que, três meses antes de cometer o crime, ela estava tomando cerveja com José Carlos, na companhia também de uma sobrinha de 14 anos, e saiu para comprar entorpecentes.

Quando reencontrou a sobrinha, porém, a adolescente a disse chorando que José Carlos teria tentado abusar sexualmente dela.

A travesti foi até a casa de José Carlos tomar satisfação e ele negou que tenha cometido a violência, mas a adolescente seguiu confirmando o abuso. A tia, então, decidiu que mataria o homem.

A partir disso, ela passou a se aproximar do homem e começou a ter encontros amorosos com ele com o intuito de criar um momento para se vingar. No dia de Natal, após se relacionarem, ela o golpeou com um pedaço de madeira e com uma faca.

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, afirmou o delegado Caio Albuquerque.

Prisão

Diante da investigação, o delegado Caio Fernando Albuquerque pediu a prisão preventiva da investigada à Justiça e o mandado foi cumprido pela Polícia Militar nessa segunda-feira (18) no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

O inquérito ainda não foi concluído, mas, segundo a Polícia Civil, a travesti será indiciada por homicídio qualificado.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRedução salarial
Próximo artigoE se a vacina der efeito colateral? Você pode receber R$ 500 mil em indenização