Traslado gratuito de corpos

Custo de traslado intermunicipal pode chegar a R$ 5 mil

Deputado estadual Dr Eugênio é relator da LOA 2020 (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O deputado Dr. Eugênio (PSB) afirma que vai articular junto aos colegas parlamentares para derrubar o veto do governador Mauro Mendes (DEM) ao projeto de lei 278, de 2020, que prevê o traslado intermunicipal gratuito de corpos de pessoas que morrem no SUS.

“Este é um projeto muito importante, mas infelizmente o governador vetou, mas vamos brigar para derrubar este veto”, disse o deputado ao LIVRE.

O parlamentar afirma que há 25 anos trabalha na região do Araguaia e, durante 14 anos, trabalhou na central de regulação.

“Nós quando regulamos um paciente aqui do Araguaia, por exemplo, e ele vai para Cuiabá, e por uma felicidade após ser atendido vai a óbito, você não imagina o grau de dificuldade que é trazer esse paciente para sua cidade de origem”.

LEIA TAMBÉM

Eugênio afirma que o custo de traslado, além da burocracia, é um dos principais fatores que o motivou a apresentar o PL para garantir mais tranquilidade aos entes da pessoa que faleceu. “Para se ter ideia, trazer um paciente [morto] de Cuiabá até Água Boa custa em torno de R$ 5 mil”.

A proposta, segundo o parlamentar, é estabelecer que o Estado arque com essas despesas, pois, mesmo o governo repassando recursos aos municípios para auxiliar no custeio do translado, é bem inferior do que o necessário.

Voltando ao exemplo de Água Boa, que fica a 739 km de Cuiabá, o município oferece ajuda de apenas R$ 1 mil para o translado que custa R$ 5 mil. O restante do recurso, conforme explica o deputado, é muitas vezes rateado junto a políticos e doações, em alguns casos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDoutorando da UFMT é acusado de pegar 69 ratos de laboratório sem autorização
Próximo artigo5 ferramentas para criar o seu e-commerce em tempos de crise