Trabalho escravo

Deputado repudia modelo de Código de Ética da Polícia Militar de MT

Agente prisional de carreira, o deputado estadual João Batista (PROS) é um crítico do texto do novo Código de Ética e Disciplina da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiro Militar de Mato Grosso.

A Mensagem 77/2021 está em trâmite na Assembleia Legislativa e deverá ser votado após o recesso parlamentar que encerra no dia 2 de agosto.

Um dos pontos prevê que militares poderão trabalhar gratuitamente ao Estado para evitar punições em processos administrativos disciplinares. Vale lembrar que somente por PAD o servidor público pode ser desligado em definitivo do serviço público.

“É uma redação, no mínimo, infeliz e que implanta uma espécie de chantagem contra o militar. É uma situação que se assemelha ao trabalho escravo. Digamos que o militar que aceite essa condição seja inocentado ao final do processo disciplinar. Como vai ficar? Não tem sentido?”, questiona.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça de MT mantém prisão de acusado de fraude com o seguro DPVAT
Próximo artigoVai comprar presente no Dia dos Pais? CDL estima aumento de 20% nas vendas