Trabalhadores podem ser obrigados a se vacinar contra a covid?

Juíza do trabalho explica o que está previsto na CLT e qual o entendimento do STF e da maioria dos juízes nesse caso

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A vacinação contra a covid-19 já começou no Brasil e com ela surgiu o debate sobre sua obrigatoriedade. Na esfera trabalhista, a dúvida é se a empresa pode exigir a vacinação do trabalhador e quais as consequências, em caso de recusa.

Para a juíza juíza Graziele Lima, da Vara do Trabalho de Colíder (635 km de Cuiabá), o tema é polêmico e merece um debate.

“No meio jurídico, há um posicionamento majoritário, do qual eu coaduno, no sentido de que sim, é possível que o empregador exija que seu funcionário se vacine. Entendo que essa determinação está dentro do poder diretivo do empregador, considerando o interesse da coletividade”, ela afirma.

E, se o funcionário se recusar a receber a imunização? Segundo a magistrada, a situação pode configurar justa causa. “Entendo que essa recusa, simplesmente por convicção, por ideologia, por crença religiosa, não seria suficiente e o empregador poderia dispensar o funcionário por justa causa“.

A opinião da juíza vai de encontro ao entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou constitucional a compulsoriedade da vacina, ou seja, o Estado pode exigir que a população se vacine.

“Essa compulsoriedade não é através de violência ou de obrigatoriedade física. As medidas que foram autorizadas à serem tomadas são medidas como aplicação de multas, o Estado poderá impedir o acesso a determinados lugares, matrículas em escolas“, ela explica.

Artigo da CLT

Como argumento, a juíza cita o artigo 158 da CLT, que aponta o dever do empregado em se submeter às regras de saúde e segurança do trabalho, prevenção de doenças e acidentes adotadas pela empresa.

“Então, nessa mesma linha de entendimento, a recusa em tomar a vacina contra a covid-19 seria considerada uma falta grave, já que o empregado estaria se recusando a praticar as regras estabelecidas pela empresa”.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrimeira-dama tem novo diagnóstico de covid-19
Próximo artigoConheça a cozinheira cuiabana que conquistou do papa ao rei Pelé