Toffoli permite o pagamento parcelado de aposentadorias em MT

Em março, uma decisão do Tribunal de Justiça obrigou que o Estado pagasse, de forma integral, os aposentados e pensionistas

(Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu a um pedido do Governo de Mato Grosso e manteve o pagamento escalonado de pensões e aposentadorias no Estado. A decisão é do dia 27 de novembro.

O Estado recorria de uma decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) que proibia o escalonamento, em uma ação movida pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso.

A entidade de classe acionou a Justiça depois que o governo divulgou, em fevereiro deste ano, que passaria a escalonar o pagamento de aposentadoria e pensão dos servidores públicos estaduais.

O sindicato destacou que o pagamento não dependeria do fluxo normal de arrecadação do Estado, já que decorreria de arrecadação própria, por meio de contribuições previdenciárias.

Em março o TJMT, de forma liminar, atendeu ao pedido e mandou suspender o pagamento parcelado.

Em abril, o Estado recorreu da decisão junto ao STF. A Procuradoria-Geral da República já tinha se manifestado contrária ao pedido de Mato Grosso.

Contudo, Toffoli entendeu diferente. O ministro destacou que a maioria dos Estados passa por uma “lamentável e inegável situação de caos financeiro”, além da frustração de receitas.

“Deve, assim, ser mantida a suspensão cautelar aqui liminarmente deferida”, decidiu Toffoli. A decisão é válida até que o TJMT analise o mérito do assunto. Esse entendimento já tinha sido demonstrado pelo ministro em abril, quando, de forma liminar, Toffoli permitiu o parcelamento dos pagamentos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem invade igreja evangélica, xinga e tenta agredir fiéis
Próximo artigoMulher socorrida pela PM dando à luz é presa três dias depois furtando loja

O LIVRE ADS