Todo mês Estado tira R$ 115 milhões “do próprio bolso” para pagar aposentadorias, diz Mauro

Mauro Mendes deve apresentar projeto à AL para alterar o regime previdenciário estadual

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Mesmo com o desconto de 11% sobre o salário do servidor público e a contribuição de 22% paga pelo Governo, o Mato Grosso Previdência (MT Prev) não consegue caixa suficiente para pagar todos os aposentados de Mato Grosso. Isso leva o Estado a desembolsar R$ 115 milhões, arrecadados em impostos, para suprir o déficit previdenciário.

Em coletiva de imprensa na segunda-feira (4), o governador Mauro Mendes (DEM) garantiu que o Estado não tem como arcar com o custo da aposentadoria dos funcionários públicos.

Por isso, Mauro deve apresentar um projeto de lei para a Assembleia Legislativa, para alterar o regime previdenciário estadual.

Ele afirmou que apenas aguarda a conclusão de estudos sobre a área para que a proposta chegue à Casa de Leis.  Há chances de que ela seja apresentada ainda em 2019.

Atualmente, segundo a gerência da previdência social, o déficit é estimado em R$ 1,3 bilhão anualmente.

“Todo mês sai da conta de energia elétrica, sai do ICMS do combustível, sai de impostos que o cidadão paga, para poder pagar esses servidores aposentados do Estado”, disse o governador.

Conforme Mauro, a projeção da previdência aponta que, em 2023, Mato Grosso terá mais funcionários aposentados do que ativos. Hoje já são mais de 30 mil aposentados e outras cerca de sete mil pessoas que recebem pensão por morte.

“Cada vez mais vejo servidores aposentando com salário integral, o que não acontece na iniciativa privada. E ganhando salários que vocês conhecem, muito acima do mercado, e aposentando com 45, 48, 50 anos de idade. Até quando mato grosso vai aguentar isso? É justo?”, comentou o governador, ao defender a reforma.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS