TJMT suspende retirada de invasores

Família que estão em residencial em VG protestaram na manhã de terça

O Tribunal de Justiça suspendeu a liminar que determinava a desocupação do Residencial Jequitibá, localizado nas imediações da rodovia Mario Andreazza em Várzea Grande.

Desde 14 de abril, cerca de 3 mil pessoas invadiram as 404 unidades habitacionais do conjunto, que estava com as obras paralisadas.

Na decisão, o desembargador José Zuquim Nogueira argumentou que a desocupação iria mudar a “rotina” das famílias e que elas não têm onde se abrigar. Justificou ainda que o Estado não tem condições de ampará-las.

A construção do residencial está a cargo da construtora Aurora, que entrou na Justiça solicitando a reintegração de posse. Ela conseguiu uma liminar favorável em 30 de outubro.

Naquele momento, havia um prazo de 15 dias para a saída dos invasores, ou seja, até esta terça-feira (15).

Para tentar acelerar a decisão do desembargador, os moradores do residencial fizeram uma manifestação em frente ao TJMT no período da manhã. A tarde a liminar foi suspensa.

O residencial é um dos 4 que estão em construção e tiveram as obras paralisadas em Várzea Grande. Todos são para famílias de baixa renda, com ganhos mensais de no máximo R$ 1,8 mil.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS