TJMT suspende lei que autorizava VI de R$ 7 mil a chefes de gabinetes

Câmara de Cuiabá terá que suspender de imediato o pagamento aos chefes de gabinete de cada um dos 25 vereadores

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) concedeu liminar para suspender imediatamente os efeitos de uma lei municipal que autoriza o pagamento de verba indenizatória de R$ 7 mil a cada um dos chefes de gabinetes dos vereadores da Câmara de Cuiabá.

A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) desta sexta-feira (11).

A Procuradoria Geral de Justiça ingressou com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) questionando a legalidade das leis municipais que asseguraram verba indenizatória ao servidor comissionado ocupante de cargo de chefe de gabinete.

Na avaliação do Ministério Público, o texto da lei é flagrantemente inconstitucional, pois se trata de ajuda de custo para uma obrigação típica e ordinária da função de chefe de gabinete.

A justificativa para o pagamento do benefício – criado pela Lei 6.159/2017 – veio a ser instituída formalmente somente com a aprovação da Lei 6.403/2019, que apresentou argumentos genéricos.

Para receber a verba indenizatória de R$ 7 mil, basta o chefe de gabinete apresentar o cumprimento de metas fixadas pelo vereador ao qual é subordinado em documento encaminhado a Secretaria de Orçamento e Finanças.

Assim, o TJMT entendeu que a verba indenizatória estaria assumindo papel de complemento salarial e não cumprindo sua finalidade: o ressarcimento de despesas relacionadas as atividades desempenhadas.

No voto favorável ao reconhecimento da inconstitucionalidade, a desembargadora Maria Helena Póvoas ressaltou que a “verba indenizatória deve servir exclusivamente com a finalidade de ressarcir o servidor de despesas inerentes ao exercício do seu múnus público, de modo que a sua instituição, sem a devida justificativa, encontra óbice no princípio da moralidade”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO LIVRE corrige uma injustiça
Próximo artigoGoverno de MT oficializa intenção de compra de 500 mil doses da CoronaVac