TJMT mantém prisão de membro do Comando Vermelho

Homem é acusado de tráfico de drogas e corrupção de menores e reclama de demora para ser sentenciado

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve a prisão preventiva de Weverson Silva Brito, acusado de integrar a organização criminosa Comando Vermelho e ter participação direta em crimes como tráfico de drogas, tortura, roubos e corrupção de menores.

A decisão dada por unanimidade pela Segunda Câmara Criminal foi publicada na sexta-feira (26) no Diário da Justiça.

O acusado está preso desde janeiro de 2020, quando foi deflagrada pela Polícia Civil a Operação Reditus, que desmantelou ações criminosas que ocorriam em municípios da região Sul de Mato Grosso, como Rondonópolis (225 km de Cuiabá).

O relator do habeas corpus, desembargador Pedro Sakamoto, rejeitou a tese da defesa de constrangimento ilegal por excesso de prazo para prolação da sentença pelo juiz de primeiro grau.

Para o magistrado, o alto número de réus na ação penal somado a necessidade de citação via carta precatória para cumprimento de normas do Código de Processo Penal e a nova rotina do Judiciário, por conta da pandemia, justifica a relativa demora para o juiz de primeiro grau proferir a sentença.

O voto foi acompanhado pelos desembargadores Rui Ramos Ribeiro e Luiz Ferreira da Silva.

Operação Reditus

As investigações da Polícia Civil que resultaram na operação Reditus iniciaram em 2018 para apurar crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico, tortura, roubos e corrupção de menores.

Os trabalhos culminaram na identificação de suspeitos, alguns recolhidos em unidades prisionais de Rondonópolis e Cuiabá, e outros integrantes que circulavam livremente para região cometendo diversos crimes.

Conforme investigação da Polícia Civil de Rondonópolis, o grupo era bem estruturado e ordenado, com divisão de tarefas entre seus integrantes, responsável por grande parte das ocorrências praticadas na região do sul de Mato Grosso.

Durante monitoramento da associação foi possível mapear o funcionamento, com a identificação dos membros e suas respectivas funções. As principais características dentro do grupo eram hierarquia, organização pré-definida com disciplina e gerentes, fluxo financeiro com pagamento de mensalidades, taxa sob o tráfico de droga, extorsão de empresários, entre outros.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPandemia: Entidades do comércio são a favor de punições severas a empresários
Próximo artigoReunião adiada