TJ mantém exoneração de servidor envolvido em fraude de R$ 6,5 milhões

Fiscal de tributos foi punido em processo disciplinar após participação na Máfia do Fisco

(Foto: Ednilson Aguiar /O Livre)

Por unanimidade, a 1ª Câmara de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) rejeitou um recurso do ex-servidor público da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), José Simão Ferreira Martins.

Ele pedia a anulação, por falhas processuais, de um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) que culminou em sua exoneração pela suspeita de participar de esquema de fraude aos cofres públicos na ordem de R$ 6,5 milhões.

A decisão foi publicada no Diário da Justiça que circulou na segunda-feira (30).

José Simão Ferreira foi exonerado do cargo de fiscal de tributos por ter sido acusado de envolvimento no esquema conhecido como Máfia do Fisco, desvendado entre 1999 e 2000.

A defesa alegou que o processo disciplinar foi concluído e culminou na pena máxima, mesmo sem respeitar o direito constitucional de ampla defesa e contraditório, o que por si só atrairia a nulidade de todos os atos administrativos.

Após ter o recurso de apelação negado, a defesa ingressou com embargos de declaração. No entanto, o desembargador Márcio Vidal entendeu que não se tratava do recurso adequado para reformar a sentença.

Acompanharam o voto as desembargadoras Maria Erotides Kneip e Helena Maria Bezerra Ramos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSupremo julga dia 11 obrigatoriedade da vacina contra a covid-19
Próximo artigoSecretário é transferido para SP