Teve covid? Cardiologista recomenda check-up no coração mesmo sem sintomas aparentes

Médica alerta que exames devem ser feitos mesmo que a pessoa não tenha tido a forma grave da doença

(Foto: Freepik)

Mesmo quem se curou da covid-19 deve prevenir e realizar uma avaliação cardiológica para checar como está a saúde. Essa é a recomendação de médicos de diferentes especialidades. A ideia é checar possíveis sequelas que o novo coronavírus pode ter espalhado pelo organismo.

De acordo com a cardiologista Talita Tenuta, do Hospital Santa Rosa, de cada 10 pacientes atendidos no consultório, pelo menos 3 procuram tratamento preocupados com o risco de algum tipo de sequela pós-covid.

Talita orienta que, mesmo que o paciente não esteja sentindo nada, faça um check-up. Os principais exames para avaliar a saúde do coração são o eletrocardiograma e o ecocardiograma.

“Nos casos mais leves, a gente orienta que após 30 dias, mais ou menos, a pessoa faça uma consulta de avaliação. Mas quem teve a forma moderada ou grave da doença, ou está com sintomas como palpitação, dor no peito, tontura, vertigem, dificuldade para respirar, sensação de fraqueza, deve procurar um médico rapidamente para investigar o que está acontecendo e começar o tratamento adequado”, recomenda.

Talita sugere que o paciente que se recuperou da covid-19 faça uma avaliação mais completa, não apenas com cardiologistas, mas com outros profissionais, como pneumologista, por exemplo.

“É uma doença sistêmica, que desencadeia diversos processos inflamatórios em diferentes regiões do corpo. Os pulmões estão entre os órgãos mais afetados pelo vírus, mas é importante ampliar a investigação com exames para identificar se houve sequelas e conhecer a gravidade de cada uma delas”, diz a médica.

Dentre as doenças cardiovasculares mais comuns, estão as arritmias, que ocorrem quando os impulsos elétricos do coração não funcionam corretamente; a miocardite (inflamação no músculo do coração) e a trombose coronariana, que é quando um coágulo se desenvolve em uma das artérias e interrompe o fornecimento de sangue para um músculo do coração.

Prevenção

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

A cardiologista faz um alerta importante: “as medidas de isolamento social não devem ser motivo para que as pessoas não recorram aos serviços médicos quando necessário, ou deixem de realizar os exames de rotina”.

LEIA TAMBÉM

E quem tem problemas cardíacos deve redobrar os cuidados. “Sabemos que a covid-19 pode trazer complicações para pacientes com algum histórico ou problema cardíaco preexistente. Nesses casos, principalmente, é preciso manter a rotina diária de atenção e dedicação à saúde, além de adotar mais cuidados contra o coronavírus, incluindo vacinação, uso de máscara e álcool em gel, além do distanciamento social. A prevenção ainda é a melhor forma de se proteger”, observa.

E para prevenir possíveis doenças cardíacas, a médica Talita Tenuta orienta manter atividade física regular, investir em uma alimentação saudável e manter um acompanhamento clínico com seu cardiologista para exames de rotina.

Dados do painel de monitoramento da covid-19 da Secretaria de Saúde de Mato Grosso, de janeiro a agosto deste ano, apotam que 60% dos óbitos pela doença envolveram pessoas com algum tipo de comorbidade ou doenças preexistentes.

Quando fazer check-up?

  • Após passar por formas moderadas ou graves da doença;
  • Mesmo em casos leves e sem algum sintoma persistente;
  • Quando apresentar alguns sintomas como: dor no peito, falta de ar, fadiga, cansaço, palpitação, tonturas, vertigens.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPara enfraquecer Bolsonaro, STF pode derrubar decreto que facilita compra de armas
Próximo artigoHomem é sequestrado e roubado na porta da Santa Casa em Cuiabá