Teto de banheiro da Arena Pantanal despenca e governo diz que obra não foi entregue

O estádio também sofre com rachaduras nas paredes e infiltrações

Foto: Reprodução

Não foi apenas com a falta de energia que torcedores e usuários da Arena Pantanal sofreram no último sábado (22), durante jogo da final da Série C do Campeonato Brasileiro, disputado entre o Cuiabá Esporte Clube e o Operário (PR). Imagens enviadas ao LIVRE mostram que o teto de um dos banheiros do estádio desabou durante a partida.

Segundo um torcedor revelou à reportagem, o teto era de um dos banheiros do setor de camarotes. No local, um dos banheiros não tinha luz e, portanto, ficou inutilizado. Já o outro estava com o teto desabando.

Ainda conforme relato do torcedor, funcionários que atuavam durante o jogo chegaram a isolar uma parte da área dos camarotes por conta do desabamento do teto.

Ao ser questionado sobre a situação, o Governo do Estado respondeu por nota que a obra na Arena Pantanal não está concluída, e que busca um acordo com a construtora para sua finalização. Inclusive lembrou que o contrato com a empresa está judicializado.

Apesar disso, garantiu que a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) tem buscado amenizar os problemas estruturais da unidade, com o objetivo de fazer manutenção preventiva e pequenos reparos. Atualmente, o setor de camarotes na Arena Pantanal é utilizado pela Seduc como salas de aulas da escola estadual Governador José Fragelli.

Más condições

Além do teto, que já foi problema em momentos anteriores, a Arena Pantanal, construída para sediar quatro jogos da Copa do Mundo de 2014, apresenta outros problemas estruturais. Atualmente, o estádio sofre com rachaduras nas paredes e infiltrações, as catracas eletrônicas instaladas para o mundial não estão em funcionamento, assim como os telões instalados próximos ao campo.

Mesmo tendo passado quatro anos da Copa do Mundo, o Governo do Estado ainda não dá a obra por concluída. Isso porque a empresa responsável pela construção da Arena, a Mendes Junior, parou as atividades com 98% dos serviços concluídos.

Devido à falta de acordo entre as partes, o contrato entre governo e empresa foi judicializado. Há cerca de dois meses a juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, determinou que o governo e a Mendes Junior entrassem em acordo para a conclusão da obra, o que ainda não aconteceu.

No último sábado também, o estádio sofreu com apagão logo após os três minutos do início da final do Campeonato Brasileiro. Sobre o caso, o governo informou que “houve falha no sensor de temperatura de um dos quatro transformadores instalados no estádio” e que a equipe técnica ainda trabalha na manutenção dos refletores.

Confira abaixo a nota enviada à reportagem:

O Governo de Mato Grosso esclarece que o contrato com a empresa responsável pela construção da Arena Pantanal encontra-se judicializado.

O Governo vem tentando entrar em um acordo com a Mendes Junior, para que a construtora responsável termine, de fato, a obra. Devido às irregularidades não sanadas, a obra ainda não pode ser entregue oficialmente, por não estar completa.

Ressalta ainda que, a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) tem atuado para amenizar os problemas estruturais, com manutenção preventiva e pequenos reparos.

A MT Parcerias (MT Par) – sociedade de economia mista para promover o investimento de empresas privadas no Estado – busca projetos de Parceria Público Privada (PPP) para a concessão da Arena.

Duas empresas já se interessaram pela concessão e realizam estudos da viabilidade econômica do estádio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Vou dar o melhor de mim”, diz Laís Yasmin sobre semifinal do The Voice Brasil
Próximo artigoFestival de Pipas terá campeonato e oficinas na UFMT; inscrições gratuitas até terça-feira