|sábado, 21 abril 2018
(Foto: Divulgação)

Terceira mulher é estuprada próximo à Unemat de Sinop

Pouco depois do ato, o estuprador mandou uma mensagem para a vítima no WhatsApp

COMPARTILHE COMPARTILHE

Mais uma mulher foi estuprada em uma mata próxima ao campus da Unemat em Sinop (480 km de Cuiabá) na manhã desse domingo (15). No mesmo dia, o suspeito mandou uma mensagem no WhatsApp da vítima e acabou descoberto.

Foi o terceiro caso na cidade em 11 dias, sendo o primeiro no dia 04 e o segundo no dia 05, todos foram próximo ao terminal rodoviário na saída de Unemat. A universidade chegou a lançar uma nota de repúdio cobrando uma reação das autoridades.

No caso desse domingo (15), a Polícia Militar foi acionada por pessoas que viram a vítima perto ao terminal rodoviário.

No local, os policiais encontraram a vítima, de 29 anos, em choque. Ela contou que andava pela Avenida Bruno Martini, no Bairro Jardim Maringá, quando um homem de motocicleta encostou ao seu lado e mandou ela seguir em frente, virando na Avenida dos Guarantãs.

Conforme o boletim de ocorrência, ele mandou ela tirar as roupas e ficar quieta, pediu todos os bens que estavam com ela e a mandou ficar calada. A todo momento ele ameaçava dar um tiro na cabeça dela.

A mulher foi estuprada e, depois do ato, o suspeito entregou de volta os bens da vítima e pediu o número de telefone dela. Assim como nos outros casos dos últimos 11 dias, ele afirmou que, se ela o denunciasse, iria achá-la e matá-la.

Ela foi até a delegacia, registrou o boletim de ocorrência e fez o exame de corpo de delito.

Em conversa com os investigadores, a vítima disse que o suspeito pediu seu telefone e ela passou o número. Pouco depois do estupro, ele mandou uma mensagem para ela, que perguntou quem era e teve como resposta “o piá de ontem”.

A vítima clicou na foto que aparecia no Whatsapp e nela aparecia o endereço do Facebook do suspeito. Ela pesquisou na mídia social e encontrou seu perfil, reconhecendo-o como o autor do crime.

O suspeito, de 18 anos, mora no Bairro Boa Esperança, em Sinop. A polícia não confirmou se ele já foi preso.

COMENTÁRIOS

  1. A impunidade está tão grande no país que todo dia é um caso diferente de estupro… mas ai quando alguém sugere uma lei mais rígida para combater esse tipo de caso, vem os direitos humanos (dos manos) para barrar. Fala Sério.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Comerciante reage a assalto, tira arma de bandido, mata um e fere outro

Terceira mulher é estuprada próximo à Unemat de Sinop

Clarice Lispector e irmã escreviam manuais para “amansar” empregadas, relembra pesquisadora da UFMT

Família pede doação de sangue para o músico Bolinha

Juiz autoriza confisco de bens em cobertura dos Malouf por receio de calote

X