Temporários na Saúde: TRE-MT analisa suspeitas de favorecimento em eleição

Polícia Federal diz que casos descobertos na Operação Capistrum podem ter ajudado na eleição de deputado federal

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso vai investigar implicações eleitorais das contratações de servidores temporários pela Prefeitura de Cuiabá para a secretaria de Saúde do município. 

Uma apuração da Polícia Federal encontrou indícios de que as nomeações teriam refletido na eleição a deputado federal em 2018 de Emanuel Pinheiro Neto (PTB), filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB).

As supostas contratações irregulares são o escopo da Operação Capistrum, do Núcleo de Competências Originárias (Naco) e geraram o afastamento de Emanuel Pinheiro do cargo por mais de um mês, entre outubro e novembro de 2021. 

No âmbito eleitoral, o processo foi protocolado no gabinete do juiz da 51ª Zona Eleitoral de Mato Grosso, Franciso Alexandre Ferreira Mendes. Mas, no dia 21 de fevereiro, ele declinou da decisão e transferiu a análise para o pleno Tribunal Regional Eleitoral (TRE). 

Na decisão, o magistrado afirma que o caso depende da “supervisão” do pleno, órgão adequado para avaliar a implicação das investigações no mandato do prefeito. 

A Operação Capistrum partiu de depoimentos de ex-secretários de Saúde de Cuiabá, que apontaram a nomeação de indicações políticas de vereadores para ser mantida a base de apoio de Emanuel Pinheiro na Câmara dos Vereadores. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Por que vocês acham que em Cuiabá nunca tem concurso para a saúde, e quando abre, chamam pouca gente e colocam um salário baixo? Há quanto tempo não se faz concurso para enfermeiros e médicos 20 horas? 7 anos… Para médicos 40 horas? 14 anos.. e assim por aí. Acabaram de promover mais um seletivo, quase 3000 pessoas a mais vão ser chamadas através de vínculos precários, pessoas que vão sempre tender a agir com medo de serem demitidos. O concurso é passo obrigatório por legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMarcos Pontes oficializa pré-campanha como deputado federal
Próximo artigoPT lança quadrinhos contando sua versão sobre a prisão de Lula