Tempo seco aumenta o risco de problemas cardíacos

A concentração de poluentes pode causar problemas cardiovasculares; especialista dá dicas para amenizar os impactos

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Mato Grosso deve atingir temperatura de 44°C e 9% de umidade relativa do ar nos próximos dias. Além de contribuir para o aumento de casos de doenças respiratórias, o clima quente e a baixa umidade também podem causar riscos para o coração. A concentração de poluentes tende a aumentar nesta época, podendo colocar em alerta aqueles que possuem algum problema cardiovascular. Na região, o período de estiagem deve durar até meados de novembro.

A coordenadora do curso de enfermagem da Universidade de Cuiabá (Unic) de Tangará da Serra, Tatiane Escame Herreiro, explica que a falta de chuvas e o ar mais seco, fazem com que os poluentes se dispersem com dificuldade. “As substâncias que afetam a saúde, geram problemas respiratórios e também oferecem riscos para o coração. Isso porque quando os poluentes são inalados, sofremos com o aumento da pressão arterial”, comenta.

Tatiane aponta que pessoas que possuem problemas cardiovasculares ou tendência à cardiopatia, têm maior risco de sofrerem derrames e infartos nessa época do ano. “A poluição mais concentrada neste período, contribui também para o aumento de coágulos no sangue, o que pode causar uma série de problemas, como o entupimento das artérias”, acrescenta.

Para diminuir os riscos e os efeitos causados pela baixa umidade, a professora da Unic orienta que a hidratação seja constante. Além de proporcionar maior conforto físico, a ingestão de água evita o risco de trombose. “Uma ótima recomendação é observar a urina, caso ela esteja um pouco mais escura, é sinal de que a pessoa precisa ingerir mais água”, diz.

Quanto às atividades físicas ao ar livre, a coordenadora do curso mantém a orientação sobre a hidratação e indica que exercícios sejam feitos em horários menos quentes, (antes das 9h e depois das 17h). “É importante que, se possível, escolha ambientes arborizados, com pouca circulação ou até mesmo longe do trânsito. Desta forma, é possível se manter mais distante da poluição, enquanto mantém as atividades”, finaliza.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBento XVI diz que legalização de casamento homossexual é “distorção de consciência”
Próximo artigoCinco motivos para fazer intercâmbio após os 30 anos