Teich diz que deixa Ministério com plano de testagem pronto para ser implementado

Ex-ministro afirmou que também tem pronto um programa para ajudar governadores e prefeitos a tomarem decisões daqui para frente

(Foto: Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil)

Em um pronunciamento que durou pouco mais de cinco minutos, o ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que sairá do cargo deixando prontos para serem implementados no país dois planos para o enfrentamento à pandemia da covid-19.

O primeiro deles, segundo Teich, é destinado a governadores, prefeitos e secretários de Saúde. Conteria informações sobre o que está ocorrendo atualmente no Brasil e pode ser usado como parâmetro para a tomada de decisões daqui para frente.

O segundo, é um programa de testagem rápida para o novo coronavírus. Algo que Teich já sustentava ser fundamental para entender e combater a pandemia no país logo que assumiu o posto, em meados de abril.

Embora tenha permanecido pouquíssimo tempo no cargo, Teich disse que iniciou um plano estratégico no Ministério da Saúde e foi enfático ao afirmar que ele precisa ser seguido.

Embate com o presidente

O ex-ministro não falou em seu pronunciamento sobre o que lhe motivou a deixar o cargo. Na imprensa nacional, as especulações giram entorno do protocolo para o uso da cloroquina como medicamento contra a covid-19.

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro quer que o remédio seja usado também nos casos mais leve e primeiros sintomas da doença, o ministro seria contra. Hoje, a cloroquina é usada somente em pacientes com quadro de saúde mais grave.

LEIA TAMBÉM

Teich sequer citou tal polêmica, mas iniciou seu pronunciamento enfatizando que o “time” do Ministério da Saúde sempre esteve ao seu lado. “Um grande time. Sempre trabalharam intensamente por esse país”, disse.

Em sua única menção ao presidente, Teich agradeceu a oportunidade de assumir o Ministério. Disse que era algo “muito importante” para sua carreira, mas que não aceitou o convite pelo cargo em si, mas porque achou que “poderia ajudar o Brasil”.

Nelson Teich deixou o local do pronunciamento sem abrir espaço para responder as perguntas dos jornalistas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGovernador diz que reajuste para comissionados será mais econômico para MT
Próximo artigoAuxílio para professores será vetado