TCE sem pressa

Tribunal não aprecia processo que revelou superfaturamento em obra de estacionamento da AL

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Os conselheiros interinos do Tribunal de Contas do Estado mais uma vez deixaram de apreciar o processo que comprovou superfaturamento e outras irregularidades na obra do estacionamento da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

A conselheira interina Jaqueline Jacobsen condenou os deputados Mauro Savi e Romoaldo Jr. a devolverem R$ 18 milhões aos cofres públicos . No dia do julgamento, o conselheiro interino Moisés Maciel pediu vistas no processo e deve agora apresentar suas justificativas.

Nos bastidores a informação é de que o processo só volta para a pauta no final do ano, após as eleições.

Sabe-se também que a meio quilômetro dali, na Assembleia, tramitam projetos de lei de interesse do TCE (como o que pode aumentar a verba indenizatória dos servidores) e transcorrem as discussões para preenchimento de vagas de conselheiro.

LEIA MAIS:

Janelas da corrupção

Servidores comemoram vista

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil registrou mais de 4 milhões de acidentes de trabalho entre 2012 e 2018
Próximo artigoLucimar antecipa pagamento de salário de julho para esta sexta

O LIVRE ADS