TCE percorre Chapada dos Guimarães e aponta omissão do poder público contra queimadas

Principal constatação foi que os focos de queimadas e incêndios são, em sua maioria, ação humana devido à falta de instrução adequada

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Membros do Comitê Interno de Gestão Ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) percorreram às margens da rodovia MT-251 – que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães – e constataram uma série de falhas e omissões do poder públicos no combate a queimadas em áreas de preservação permanente.

A principal delas, segundo o relatório, é a ausência de uma campanha publicitária e ações de conscientização de produtores rurais da região para que não utilizem a técnica chamada queima de expansão, que pretende combater o fogo com o fogo.

Titular da Secretaria Geral de Controle Externodo TCE-MT, Roberto Carlos de Figueiredo afirma que muitas pessoas têm utilizado essa técnica fora do período adequado e sem o conhecimento adequado para empregá-la, o que estaria agravando a situação, ao invés de evitar que o fogo se alastre.

“É considerável o número de iniciação de focos de incêndios advindos da ação humana, em decorrência de equivocada iniciativa de civis na defesa de sua propriedade”, ele disse.

Campanhas nesse sentido, no entanto, não estão previstas no Plano de Ação 2021 – Combate ao Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais em Mato Grosso (PPCDIF-2021), nem no Plano de Operações para a Temporada de Incêndios Florestais (POTIF 2021), ambos projetos do Governo do Estado.

Ação rápida

O TCE afirma ainda que nenhum dos dois planos de ação contempla a aplicação de uma outra medida que poderia acelerar o combate às chamas: a utilização de pilotos de motocross para fazer o deslocamento dos soldados e seus respectivos equipamentos de trabalho nos locais do incêndio.

Seriam 20 voluntários, devidamente aparelhados e preparados ao enfrentamento do relevo da região, que poderiam ser determinantes para o sucesso de diversas missões.

“Apontamos ainda a necessidade de disponibilização às equipes operacionais que atuam no combate aos incêndios florestais, especialmente nos biomas Cerrado e Pantanal, motocicletas adaptadas à locomoção rápida das equipes e equipamentos em local de difícil acesso, bem como de capacitação de pessoal”, afirmou o secretário.

Todas as recomendações foram encaminhadas ao Governo de Mato Grosso; à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT); ao Comando Geral do Corpo de Bombeiros; ao Batalhão de Emergência Ambientais; à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), além das prefeituras e câmaras municipais de Cuiabá e Chapada dos Guimarães.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Tem que ampliar o parque! Pilotos de motocross destruíram boa parte das morrarias e são um problema constante em varias unidades de conservação, querem institucionalizar essa pratica danosa e egoísta por aqui? O estrago de motos nos morros da chapada é pior que qualquer fogo, nota se de longe as cicatrizes nos morros.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMulher se recusa a abandonar marido que está em coma há 39 anos: “Ele ainda está vivo”
Próximo artigoToque de recolhe começa às 2h