Tarô e terapias do feminino: publicitária de Cuiabá se descobre no empreendedorismo místico

Silene Ferreira estuda o assunto desde os 12 anos, a princípio por diversão, e decidiu “retribuir” o dom que o Universo lhe deu

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre

Proporcionar um vislumbre do que está por vir em 2020 e te ajudar a se preparar para esses acontecimentos. Há algum tempo a publicitária Silene Ferreira, 44, faz atendimentos para amigos e pessoas próximas. Mas nesse restinho de ano, resolveu apostar em sua intuição e empreender na área mística.

Com hora marcada, sempre aos sábados, vai atender clientes interessados em saber o que o Tarô lhes revela. E não só isso, com base nas teorias do Sagrado Feminino, os interessados também podem ter uma sessão do que ela chama de “terapia não convencional”.

O assunto ainda é cercado de tabu e Silene mesma reconhece. Segundo ela, quem atua na área tem dificuldades para divulgar o trabalho que faz. A ponto de pessoas próximas não saberem que ela é um estudiosa do assunto.

Mas afinal, do que se trata?

Silene descreve como um estilo ou filosofia de vida. Assim como religiosos acreditam e seguem uma doutrina, ela pauta seus dias e suas atitudes em ensinamentos mitológicos que pregam, por exemplo, que a energia que você emana é a mesma que receberá de volta.

“Então, você não vai procurar construir sua felicidade em cima da infelicidade ou prejuízo de outra pessoa”, ela exemplifica.

Uma crença que Silene conheceu por volta dos 12 anos de idade, lendo textos de teóricos do assunto apenas por diversão e que, com o passar do tempo, percebeu que já não podia mais dissociar de seu cotidiano.

Segundo ela, muito do que se “conhece” hoje sobre o ocultismo e paganismo vem de histórias de fantasia contadas, principalmente, no cinema e literatura.

Ela cita como exemplo filmes como Harry Potter e Crepúsculo e os livros do escritor brasileiro Paulo Coelho. Obras que até contribuem para “popularizar” esses termos, segundo ela, mas de uma maneira que Silene descreve como “fast food”, ou seja, não mais séria e aprofundada.

O Tarô

O aprofundamento nesses estudos, aliás, foi o que fez Silene perceber que tinha a “habilidade/dom” de ler as cartas de Tarô.

“E chega uma hora que você vê que se tem aquela sensibilidade, você precisa canalizar de alguma forma. É até uma maneira de retribuir ao Universo essa capacidade que você possui”.

Sobre o Tarô, diga-se de passagem, Silene explica que não serve especificamente para “ver o futuro”. As cartas mostram, conforme ela explica, o que já aconteceu, está acontecendo ou pode vir a acontecer em um período de 6 meses.

E se você não acredita nessas coisas, provavelmente, nem vai adiantar tentar uma consulta. Conforme Silene, se a pessoa não emanar a energia necessária, o Universo não mostra as respostas.

Silene alerta, se você não acredita, as cartas, provavelmente, não vão te mostrar nada (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre

Terapia do Feminino

Uma vez com as revelações do Tarô feitas, se o cliente tiver interesse, tem início a “terapia não convencional” de acordo com a doutrina do Sagrado Feminino.

Silene explica que todos os seres humanos possuem em si características de deuses e deusas antigos. Uma crença que remete tempos muitos antigos e se assemelha com as mitologias Grega e Romana, por exemplo.

Ela chama essas características de arquétipos e diz que o ideal – embora em determinadas circunstâncias um possa se manifestar com maior força que outro – é que eles estejam em equilíbrio.

No caso das mulheres, Silene afirma que existem 11 arquétipos principais: 7 deusas alquímicas, que são aquelas não ligadas a relacionamentos com outras pessoas; 3 deusas maternais; e uma deusa cabalística.

Mas os arquétipos são inúmeros e há também os ligados às sombras e que não necessariamente precisam ser reprimidos. Segundo Silene, tudo é uma questão de equilíbrio.

“Nós não somos feitos só totalmente de luz ou de sombras. A gente precisa dessas polaridades”, ela sustenta.

A repressão de algumas dessas características, segundo Silene, pode ser o motivo de dificuldades enfrentadas ao longo da vida.

“Há quem suprima, por exemplo, a energia maternal. E eu não falo em ser mãe de fato, mas essa energia do cuidado. Você pode ser mãe de projetos, de animais, de plantas, de tudo aquilo que você se dedique com carinho para cultivar”.

A terapia oferecida por ela, então, busca identificar qual dessas características está mais ou menos aflorada para que o cliente trabalhe em seu crescimento pessoal e espiritual.

Em outras palavras, não adianta ir a uma consulta esperando receber uma “poção mágica” ou algo do tipo. O “tratamento” é feito por cada um, individualmente, ao longo da vida, na tentativa diária de colocar os conselhos recebidos em prática.

E como o Tarô revela um período de 6 meses, fazer várias consultas com intervalos de tempo muito próximos também não ajuda. Segundo Silene, o ideal é que se aguarde, pelo menos, 3 meses entre uma e outra.

Ficou interessado? Silene atente na Color You, sempre aos sábados com o horário marcado. Você a encontra no Instagram ou pelo WhatsApp (65) 9 9972-1237.

A Color You fica na Rua Marechal Floriano Peixoto, 265, em Cuiabá.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS