Taques diz que governo articula e não descarta pagamento de 13° e FEX

"Cada dia com sua agonia", disse o governador sobre as contas a pagar

Foto: Ednilson Aguiar/O LIVRE

A 10 dias para o fim da gestão, o governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que ainda trabalha para honrar alguns dos compromissos firmados no governo. Entre eles o pagamento do 13° salário para os servidores e dos serviços prestados por fornecedores.

Conforme o LIVRE noticiou na última semana, empresários que fornecem alimentos para as penitenciárias de Mato Grosso estão contando com a liberação dos R$ 500 milhões referentes ao Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) para que os pagamentos sejam regularizados. Caso o valor não seja liberado, eles não descartam paralisar a entrega de marmitas.

Veja mais:
Governo garante repasse de R$ 8 milhões, mas alimentação de presos ainda depende do FEX
Marmita nos presídios: empresas pedem R$ 25 milhões e avisam que vão parar distribuição

No entanto, Taques afirmou durante a inauguração do Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Correa (Cridac), na manhã de hoje (21), que a questão da alimentação nos presídios está resolvida. “O sistema penitenciário está resolvido. Totalmente resolvido, na nossa programação estamos trabalhando com fluxo de caixa, cada dia com sua agonia”, disse.

Quanto ao 13º salário dos servidores, o governador lembrou que ele é pago mensalmente e que hoje decidirá como se dará os pagamento pendentes. “Nós temos ai 10/11 avos que já foram pagos e hoje nós vamos decidir isso”.

Em relação a vinda do FEX, o governador negou que tenha ficado para o próximo ano. Ele afirma que está trabalhando para que o recurso chegue antes do fim do mandato.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSupremo pode decidir hoje sobre liberdade de João de Deus
Próximo artigoNinguém acerta a Mega-Sena e Mega da Virada deve ir a R$ 280 milhões