Taques alega que MT melhorou e Mendes afirma que números envergonham os cidadãos

Mato Grosso aparece em 17º lugar no Ranking de Eficiência dos Estados

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Das 27 unidades federativas, Mato Grosso aparece em 17º lugar no Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F), uma ferramenta inédita lançada pelo jornal Folha de São Paulo e o Datafolha. Mesmo que a frente de apenas 10 Estados, o candidato à reeleição ao governo, Pedro Taques (PSDB), alega que houve melhora na área da Segurança Pública e Educação. Seu principal opositor, Mauro Mendes (DEM), por sua vez, aproveita os números negativos do Estado e diz que isso envergonha os cidadãos.

No estudo que considera a Educação, Saúde, Segurança Pública, Infraestrutura, Finanças e Receita Per Capita, Mato Grosso aparece em 17º lugar, com 0,353. O governador Pedro Taques, contudo, afirma que o Estado saiu da zona crítica das políticas públicas, ficando de fora da lista dos Estados considerados ineficientes em fazer mais com menos recursos.

Mauro Mendes, por sua vez, critica a posição em que Mato Grosso ocupa e lamenta que o Estado apareça envergonhando os cidadãos. “Um Estado pouco eficiente significa um Estado que não está prestando um serviço de qualidade na Educação, Saúde, Infraestrutura e Segurança”.

Contrariando o argumento do opositor, Taques afirma que a criação de 42 escolas em período integral, implantação de oito escolas militares, concurso público para a educação e o cumprimento de acordo de aumento salarial de quase 50% aos professores foram alguns dos motivos que levaram a educação de Mato Grosso a ser considerada a 5ª melhor do país, de acordo com o ranking.

O levantamento apontou ainda que o Estado possui o 9º melhor índice da segurança pública entre as 27 unidades da federação. O tucano ainda pontua que Mato Grosso poderia estar numa situação ainda pior se não tivesse realizado investimentos na Segurança Pública, que de acordo com o levantamento atingiu 0,701.

“Mesmo com cenário de crise, fizemos muitos investimentos e tivemos avanços, sobretudo, na Segurança Pública, na Educação e também na Infraestrutura”, argumentou o governador Pedro Taques.

Apesar de não contar com boa classificação, Taques defende a Saúde Estadual. “A Saúde ainda está abaixo da média, contudo, investimos 13,5% em saúde, mais do que os 12% determinados em lei”, disse o governador, que concorre à reeleição.

Mendes, no entanto, discorda do tucano. “Queremos um Estado mais eficiente. E, acima de tudo, que preste serviço de qualidade a todos nós mato-grossenses”. Ele ainda aproveitou para dizer que esse é seu compromisso caso seja eleito. “Vamos trabalhar juntos para que Mato Grosso saia dessas tristes realidades”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

7 COMENTÁRIOS

  1. O que envergonha o cidadão é o senhor Mauro mendes declarar um patrimonio de mis de 113 milhões e não pagar os seus quase 900 funcionarios da sua empresa BIMETAL isso sim é vergonhoso pra um candidato.

  2. Voce ja percebeu que os candidatos ao governo de MT, estão sem proposta para MT, na ausência de proposta solidas, chegando ao ponto descabido de debaterem escala do serviço de PM assunto este administrativo pertencente a cada comandante de batalhão e não de governo, e virar debate de governo. Isso seguinifica falta de proposta para o MT. Não escuto nenhum deles prometendo buscar investidores empresários forte de outro países pra vir pra MT.

  3. Se investisse mais em educação e em saúde, com certeza a criminalidade teria uma queda, a saúde um avanço e a educação seria melhor, porém, Taques acha que salvou a pátria com um concurso onde 90 % dos aprovados não estão nada preparados para o serviço que realiza.

  4. Você não cansa de passar vergonha taques, deixou mato grosso de lado em toda sua gestão olha como está um caos os hospitais um descaso total com a polulacao. Mauro veio para melhorar MT.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEleições 2018: 75% dos deputados federais devem se reeleger
Próximo artigoMorre aos 61 anos o jornalista Otavio Frias Filho