(SUS)tentação

Apesar das limitações e baixos investimentos, é esse Sistema que faz o Brasil conseguir lutar contra a pandemia

As bases que formaram o SUS (sistema Único de Saúde) se confundem com o processo de redemocratização do País. Surgiu da necessidade de uma população composta maciçamente de miseráveis e que era considerada indigente. Sim, quem não tinha a carteirinha do INAMPS, era tido como indigente e não poderia ser atendido na rede de saúde da época. Quem os atendiam eram as Santas Casas , lógico onde existiam esses hospitais.

Até chegar à Constituição de 88 e promulgar o artigo 196 onde se afirma que ” a saúde é um direito de todos e um dever do Estado” houve muito luta e uma compreensão clara de que era preciso diminuir as desigualdades sociais universalizando o acesso a saúde.

Ao longo dessas três décadas da sua criação, foram perceptíveis os ataques as suas bases. Mas por ser uma política de Estado e não de Governo, o Sistema conseguiu se manter de pé até hoje , o que o tornou o principal guardião das vidas dos brasileiros.

Temos o melhor programa de imunização do mundo e a Estratégia de saúde da família está presente em todos os municípios do Brasil. Isso demonstra que onde o cidadão brasileiro põe o pé , os profissionais do SUS colocam a cara. É lógico que não temos um SUS perfeito pois faltam recursos para mante-lo.

A saúde é cara e exige investimentos, principalmente em pessoas e equipamentos. Uma boa gestão otimiza muito os serviços de saúde , mas há necessidade de mais recursos pra que o SUS sobreviva bem.

A título de comparação , os serviços privados que dão cobertura a apenas 20% dos brasileiros investem 2,5 vezes mais nos seus serviços que o SUS , este responsável por cuidar diretamente de 80% da população.

Apesar das limitações e baixos investimentos, é esse Sistema que faz o Brasil conseguir lutar contra essa pandemia e através dos seus serviços salva milhares de vidas diariamente nos quarto cantos do País.

Temos a obrigação de olhar com mais cuidado e respeito a um Sistema que deixou de ser o esqueleto da saúde brasileira , mas tem hoje o estatus da alma e essência do seu povo. Nunca tivemos tanto orgulho dele e também pesar por ainda sofrer tantos ataques.

A autonomia dada a cada municipio pelo SUS é ao mesmo tempo sua força e fraqueza. Força porque é através do estudo do perfil epidemiológico de cada cidade e região que os gestores estabelecem ações em saúde para suas populações. Já a fraqueza se dá em razão do risco de maus gestores em usurpar e sangrar o SUS com a corrupção.

Nesse quesito salta aos olhos o quanto em momentos de fragilidade da população, os corruptos tentam se aproveitar do SUS. Vejam os exemplos dos superfaturamentos em compras de EPIs e ventiladores mecânicos.

A velha máxima, criar dificuldades para vender facilidades, sobrepõe ao caráter humanisco que alicerça o próprio sistema. Essa fragilidade exemplifica claramente que a corrupção é o único câncer que tenta desfigurar o Sistema único de saúde.

Logo, se por um lado temos um SUS que sustenta e protege milhões de vidas em todo País, por outro é a tentação para os medíocres e desonestos gestores que utilizam de inúmeros artifícios para desviarem verbas e enriquecerem ilicitamente.

Assim, a defesa do SUS começa com a dedicação dos seus profissionais em cada nível de atenção a saúde ,passa pela vigilância dos órgãos de controle ( MP, TCE , CGU, MPF E TCU) e termina com Judiciário garantindo os direitos definidos na constituição de 1988.Podemos ser categóricos em dizer que o SUS representa a garantia da vida e da democracia do povo brasileiro.

……………………………………………

Werley Silva Peres é médico e ex secretario de Saúde

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComo julgar Bolsonaro? Isaiah Berlin e o bom político
Próximo artigoCriador de Black Mirror é “vencido” pela realidade e não haverá uma nova temporada

O LIVRE ADS