Suspeitos de roubo em fazenda são presos durante operação contra crime organizado

O roubo ocorreu no dia 16 de outubro, ocasião em que criminosos fizeram funcionários da fazenda reféns

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um roubo com emprego de arma de fogo e cárcere privado das vítimas ocorrido em Poconé (100 km ao sul de Cuiabá) foi esclarecido pela Polícia Civil e resultou na prisão, em flagrante, de três pessoas e recuperação de parte dos objetos subtraídos.

Os suspeitos foram autuados pelos crimes de receptação, posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa armada.

A ação foi realizada por policiais civis da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e Delegacia de Poconé. O objetivo era o combate a atuação de organizações criminosas.

As equipes policiais estavam em diligências para apurar um roubo ocorrido na fazenda no dia 16 de outubro, ocasião em que três criminosas armados invadiram a propriedade e renderam funcionários. As vítimas foram amarradas e ameaçadas para dizer onde estavam objetos de valor e armas.

No roubo, os suspeitos subtraíram diversos objetos como telefones celulares, bebidas alcoólicas e armas antigas.

Logo após a comunicação do crime e com base nas informações passadas pelas vítimas, as equipes da Polícia Civil iniciaram as diligências, realizando entrevistas com pessoas, consulta em banco de dados e, ligando as informações.

Na quinta-feira (21), os policiais receberam denúncia sobre o local, onde estariam as armas e bebidas subtraídas. Na residência, no bairro Jardim dos Estados, os policiais realizaram a abordagem de dois suspeitos. Também foi apreendida uma pistola, calibre 22, e uma balança de precisão utilizada para o tráfico de drogas.

Questionado, o suspeito levou os policiais até a casa de um comparsa. Lá, estavam escondidas as garrafas de bebidas subtraídas no roubo. Diante das evidências, os três suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Poconé, onde após serem interrogados pelo delegado Maurício Pereira Maciel, foram autuados em flagrante pelos crimes de receptação, posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa armada.

“Com a prisão dos suspeitos, as investigações continuam para descobrir novos elementos de crime que possam levar a identificação de outros envolvidos e desarticulação do grupo criminoso”, disse o delegado.

Segundo o delegado da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, está ocorrendo uma cobrança muito grande para combate de atuação de organizações criminosas na região de Poconé e por isso, foi organizada uma força-tarefa pela Sesp na região. “Essa ação tranquiliza a população e mostra que o trabalho realizado pelas forças de segurança na região estão dando resultados”, destacou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá: mais de 500 aprovados em seletiva da Saúde ficaram sem cargos por “barganha”, diz MP
Próximo artigoPróximo alvo: Educação?