Suspeito de estupro é absolvido por júri

Acusado era apontado como autor das mortes de Kelly e Keverson Araújo da Silva, de 13 e 8 anos,, mas as provas se mostraram inconsistentes

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O Tribunal do Júri, realizado nessa terça-feira (17), absolveu Jovelino Lopes Viegas, conhecido como Barba, das acusações dos homicídios de Kelly Araújo da Silva, 13, e Keverson Araújo da Silva, 8. Os irmãos foram mortos em Cuiabá, em 2004.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), em 2011, “no dia 6 de dezembro de 2004, em um matagal, próximo à avenida Antártica, no Jardim Colorado, Jovelino, por meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa, matou as vítimas e”, narrou o texto. “[…] em seguida, ocultou seus cadáveres”, finaliza o trecho destacado na sentença judicial.

Falta de provas

Contudo, por conta do decorrer das investigações e o trâmite processual, a  promotoria pediu pela absolvição de Jovelino.

O defensor público Marcus Vininicius Esbalqueiro, que atuou na defesa do réu, explica que a confissão feita por Jovelino, em meados de 2010, quando foi preso, era com relação a outro crime. Também duplo homicídio das irmãs Kelly Priscila da Silva Rosa, 13, e Luana Natielly da Silva Parteck, 8, em General Carneiro ( a 452 km de Cuiabá).

“Ele confessa a autoria desse crime. As datas deles são bem próximas, o de Cuiabá foi em dezembro de 2004 e o de General Carneiro, em janeiro de 2005. E ainda tem o fato do nome de duas vítimas ser o mesmo, Kelly”, pontua Esbalqueiro. Há ainda falhas quanto a datas também.

Além disso, a mãe das vítimas de Cuiabá e  a melhor amiga de Kelly Araújo, ouvidas durante o julgamento negaram conhecer ou já ter visto Jovelino no bairro onde aconteceu o crime.

Dessa forma, com as provas inconsistentes, o júri decidiu pela absolvição,  atestada pela juíza Monica Catarina Perri Siqueira.

Novas investigações

Com esse resultado, o MP solicitou que a Polícia Judiciária Civil (PJC) reabra o caso e investigue novamente as mortes dos irmãos Kelly e Keverson.

Ainda preso

Apesar da absolvição, Jovelino não estará em liberdade. Ele está em cumprimento de pena pelo crime que vitimou as irmãs Kelly e Luana. As meninas foram estupradas, estranguladas e enterradas próximo a um rio.

Jovelino sentenciado a 69 anos de prisão e está detido em Rondonópolis (212 km de Cuiabá).

 

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOperação da PF investiga desvios na Saúde; há alvos em MT
Próximo artigoCovid: diário da vacina #71