Supremo suspende redução de IPI decretada por Bolsonaro

De acordo com Alexandre Moraes, o decreto de Bolsonaro que reduz impostos coloca em risco a Zona Franca de Manaus

Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta sexta-feira (6) um decreto do presidente Jair Bolsonaro que diminuiu a carga tributária do Brasil. De acordo com o ministro, o decreto é inconstitucional e prejudica a Zona Franca de Manaus.

O decreto reduzia as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de todo o país e que também sejam fabricados nas indústrias da Zona Franca de Manaus (ZFM).

Motivos da decisão

Na decisão, o ministro afirmou que a redução da carga tributária nos moldes previstos pelos decretos impugnados, sem medidas compensatórias à produção na ZFM, reduz drasticamente a vantagem competitiva do polo industrial, ameaçando a “própria persistência desse modelo econômico diferenciado constitucionalmente protegido”.

Ainda de acordo com o ministro, o IPI é um dos principais tributos integrantes do pacote de incentivos fiscais caracterizador da Zona Franca de Manaus.

Para proteção da zona franca

O ministro afirmou ainda que caso o decreto presidencial fosse aprovado, o benefício dado a todo país colocaria em risco o desenvolvimento de Manaus.

Hoje Manaus tem uma ampla zona franca de impostos, onde empresas abrem negócios na região pagando menos tributos e desenvolvendo o Estado.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno de MT quer emprestar US$ 40 milhões do BID
Próximo artigoÁguas Cuiabá cumpre decreto e entrega relatório à Prefeitura