Suposta ameaça do ex-secretário Rogers Jarbas é encaminhada ao STJ

O desembargador Orlando Perri encaminhou ao ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), uma "comunicação de fato" relacionada à denúncia

Orlando Perri

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, encaminhou ao ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), uma “comunicação de fato” relacionada à denúncia de que o ex-secretário Rogers Jarbas e delegado Flávio Stringueta tiveram um desentendimento relacionado ao Caso do Grampos Ilegais.

Stringueta entregou nessa segunda-feira (02) um ofício a Perri sobre a suposta ameaça do ex-secretário Rogers Jarbas feita a ele no dia 28 de março.

“Recebi ontem, oficialmente, a comunicação do fato, feita pelo Stringueta. Apenas me cabe, neste instante, levar ao conhecimento do ministro que conduz as investigações”, disse Perri.

Flávio Stringueta, em um boletim de ocorrência, afirmou que foi ameaçado e caluniado por Jarbas, que teria o chamado de “covarde, mentiroso e safado” e ainda o incitado para um confronto físico, pedindo para resolverem de “homem para homem”.

Jarbas, por sua vez, negou que a conversa com Stringueta tenha acontecido dessa forma. E afirmou que inclusive quem teria chamado para confronto foi Stringueta, com a frase: “não quer acertar comigo agora?”.

A delegada Ana Cristina Feldner também registrou boletim contra Jarbas e sua esposa Samira, com quem a delegada teria discutido no mesmo dia da conversa entre Stringueta e Jarbas.

A Polícia Civil irá apurar o caso e entregará o resultado das investigações ao Ministério Público, que decidirá se oferece, ou não, denúncia.

O processo do caso dos grampos, que antes era investigado pelo desembargador Orlando Perri, agora está no Superior Tribunal de Justiça, e, por isso, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso já não tem competência sobre o caso.

Porém, o desembargador disse que ainda há a possibilidade de algum inquérito descer para o Tribunal de Justiça, visto que nem todos os fatos que estão em apuração são ligados ao governador Pedro Taques, que foi o motivo de o STJ ter avocado o processo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm Cuiabá, movimentos e populares fazem manifestação pela prisão de Lula
Próximo artigoBaiano Filho não é encontrado pelo Gaeco e depoimento é adiado