Suicídio de jovem é evitado por ação rápida e estratégica de policiais

Ela ligou para Polícia Militar relatando diversos problemas e dizendo que iria tirar sua própria vida

Suicídio de jovem é evitado policiais
(Foto: Ednilson Aguiar)

Uma jovem de 22 anos telefonou para Polícia Militar na manhã dessa quinta-feira (22) relatando estar sofrendo diversos problemas e dizendo que, por isso, tinha decidido tirar sua própria vida. Os policiais realizaram uma ação rápida e estratégica, conseguiram impedir o suicídio da jovem e, mais uma vez, foram heróis de farda.

A tentativa de suicídio aconteceu no Bairro Residencial Glória, em Pontes e Lacerda (440 km de Cuiabá).

Conforme o boletim de ocorrência, a vítima ligou para a Polícia Militar por volta das 06h40, alegando que estava passando por problemas sérios de família, dívidas, emocionais, que recentemente tinha perdido a mãe, separado do marido e tinha perdido a guarda do filho, que estava com a avó na cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade (534 km da Capital).

Durante o relato aos policiais, por telefone, ela disse que não aguentava mais ficar sozinha e que, por isso, tinha decidido se matar.

Os policiais que atenderam a ocorrência disseram que, a todo momento, a jovem se mostrava transtornada e que o soldado que a atendeu tentou de todas as formas convencê-la a não retirar sua vida.

A conversa por telefone durou cerca de 10 minutos, tempo que uma equipe da Polícia Militar teve para encontrar a casa da jovem e iniciar as técnicas de gerenciamento de crise.

Os militares tentaram fazer com que a jovem abrisse a porta, ou a janela, mas ela chorava muito e não atendia aos pedidos. Com custo, eles conseguiram abrir uma pequena brecha na janela e viram que ela estava deitada em um colchão da sala, com uma faca de cozinha nas mãos, ameaçando cravá-la no peito.

Eles pediram para que a jovem soltasse a faca e ela seguiu recusando. Por medo de que ela tirasse a própria vida, os policiais quebraram a porta da casa, a imobilizaram e tiraram a faca das mãos dela.

Depois da entrada na casa, os militares perceberam que ela tinha ingerido uma série de remédios. Como ela seguia chorando muito e transtornada, o Corpo de Bombeiros foi acionado e a encaminhou ao Hospital Vale do Guaporé, onde ela foi deixada sob cuidados médicos.

Prevenção de suicídio

O Centro de Valorização à Vida (CVV) está disponível para auxiliar a qualquer pessoa que precise ser ouvida, ligue 188, você não está sozinho. Mais informações sobre o trabalho da instituição, leia AQUI.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.