STN reúne Tribunais de Contas para debater situação fiscal dos Estados

Pauta prioritária será adoção de regras mais rígidas para controle das folhas salariais

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Na mira do governador Mauro Mendes (DEM) desde o início da gestão, os gastos com a folha de pagamento de Mato Grosso agora também serão tema de debate em um encontro entre a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e o Instituto Rui Barbosa (IRB) – este último uma organização sem fins lucrativos destinada a aprimorar as atividades das Cortes de Contas.

A reunião está prevista para ocorrer nestas quarta e quinta-feira (6 e 7), em Brasília. O tema central é a situação fiscal dos Estados que decretaram calamidade financeira. Além de Mato Grosso, Goiás, Roraima e Rio Grande do Norte adotaram a medida este ano. Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul fizeram o mesmo ainda em 2016.

Vice-presidente do TCE de Mato Grosso, o conselheiro Luiz Henrique Lima estará no encontro. Segundo ele, “enquadrar” os governos nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LFR) quanto aos gastos com a folha de pagamento, será um dos principais assuntos a ser debatido. O objetivo será chegar a medida mais rígidas para o cumprimento das regras.

De acordo com o conselheiro, desde o ano passado o TCE-MT adotou normas mais severas. Diante delas, o governo Mauro Mendes já elaborou um Relatório de Gestão Fiscal, referente ao terceiro quadrimestre de 2018, que apontou o consumo de 67,85% da Receita Corrente Líquida do Estado com a folha de pagamento, um percentual bem acima do limite de 60% estabelecido pela LRF.  O relatório foi publicado no Diário Oficial que circulou no dia 29 de janeiro.

A Secretaria do Tesouro Nacional já havia antecipado que passaria um “pente fino” nas contas dos Estados que decretaram situação de calamidade financeira. Na época em que o governador Mauro Mendes levou o decreto mato-grossense ao conhecimento do governo federal, não estava descartada uma investigação que poderia responsabilizar gestões passadas pelo descontrole das contas públicas de Mato Grosso e de outros Estados em situação semelhante. (Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCine Teatro exibe adaptação de romance histórico
Próximo artigoMulher apanha do marido, aciona a polícia e depois se arrepende

O LIVRE ADS