|Quarta-feira, 14 novembro 2018
Foto: Edinilson Aguiar/O LIVRE

STJ desmembra inquérito dos grampos ilegais, mas mantém investigação contra Taques

COMPARTILHECOMPARTILHE

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell Marques determinou, na última segunda-feira (29), o desmembramento do inquérito que apura o envolvimento do governador Pedro Taques (PSDB) no caso dos grampos ilegais do Estado, conhecido como “grampolândia pantaneira”.

Com a decisão, apenas o governador permanece sendo investigado pela Corte Superior, enquanto os demais serão remetidos para a primeira instância de Mato Grosso.

No pedido, o MPF ressaltou que, até a conclusão das análises pendentes, não se pode descartar a hipótese de que podem surgir novas provas a respeito dos crimes investigados no inquérito, sendo prematura a formulação de juízo acusatório, positivo ou negativo, sobre o suposto envolvimento de Taques.

“Em relação ao governador, carecem de melhor definição as circunstâncias da alegada falsificação de protocolo e da inserção de dados falsos no sistema de protocolo (…). No contexto em que ocorrida a falsificação, não pode ser descartada, a hipótese investigativa segundo a qual as condutas seriam também atribuíveis a Pedro Taques, enquanto autor intelectual, e teriam por finalidade ocultar eventual omissão de sua parte na apuração dos graves fatos então levados ao seu conhecimento”, diz o Ministério Público em trecho do documento.

Restrição do foro

Em junho, o STJ decidiu restringir o foro privilegiado de governadores e conselheiros dos tribunais de contas a fatos ocorridos no exercício do cargo ou em razão dele, assim como poucos dias antes o Supremo Tribunal Federal (STF) havia decidido em relação aos parlamentares. À época, rumores davam conta de que Taques já passaria a ser investigado por juízes de Mato Grosso.

O inquérito que apura o envolvimento do governador, por sua vez, deve permanecer no STJ somente até janeiro do próximo ano, quando o tucano passará o comando do Estado para seu sucessor, Mauro Mendes (DEM), perdendo assim, a prerrogativa do foro.

A suposta participação de Taques no caso dos grampos ilegais teria se dado desde a campanha ao Governo do Estado, em 2014. O esquema resultou em 13 pessoas presas, quatro secretários exonerados e, agora, dez inquéritos criminais.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Bombeiros fazem simulação de resgate em veículo submerso na ponte Mário Andreazza
Prefeitura aposta em embelezamento urbano para fomentar o comércio e o turismo
Comércio e bancos não vão emendar o feriadão; veja o que abre e o que fecha
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Zeca Viana acusa deputados de receberem propina para acabar com as CPIs sobre sonegação
Promotora de Justiça diz que defensor não é homem e pode ser afastada do cargo
Botelho arquiva pedido de afastamento do governador Pedro Taques
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Zeca Viana acusa deputados de receberem propina para acabar com as CPIs sobre sonegação
Leilão Nelore Água Fria em Marabá oferta 100 touros PO e 5 mil bezerros
Tereza Cristina tem encontro com Bolsonaro e almoço com deputados
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
Japonês paga R$ 65 mil por cerimônia de casamento com um holograma
Festival de cinema traz a Cuiabá sete clássicos do terror japonês em novembro
Papai Noel Pantaneiro chega ao 3 Américas neste domingo em “parada natalina”
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Lula presta depoimento em Curitiba no processo do sítio de Atibaia
Bolsonaro se reúne hoje com Maia, embaixadores e governadores
Em reunião com Bolsonaro, Mauro Mendes planeja pedir mais recursos para MT
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Últimos dias para inscrição em concurso com salário de até R$ 18 mil; veja oportunidades
Concurso público: MT tem mais de duas mil vagas; salários chegam a R$ 18 mil
Termina neste domingo inscrição para concurso da Prefeitura; salários chegam a R$ 5 mil
X