|domingo, 19 agosto 2018
Software permite a projetos orçamentos precisos e menos erros

BIM: Nova metodologia de projetos de engenharia e arquitetura reduz custos e pode barrar superfaturamentos

Ferramenta que começa a ser utilizada em MT já é obrigatória em países como os EUA e Inglaterra

399
COMPARTILHECOMPARTILHE

Um  novo método de criação e execução de projetos na construção civil,  plenamente utilizado em países como os Estados Unidos, Inglaterra e Finlândia, dentre outros, já é realidade em Mato Grosso. Neste mês a ferramenta que vai revolucionar o ramo da construção no Estado foi apresentada em um evento especial a profissionais da arquitetura, engenharia de estruturas, de instalações e infraestrutura que operam nos principais escritórios da cidade.

A nova metodologia é a evolução do processo tradicional que até então tinha no AutoCad o seu modelo mais famoso. Antes, o processo era baseado em um “desenho” e, agora, em um “modelo” que busca uma representação virtual do projeto.

Dois jovens empreendedores, os engenheiros civis Ademir José Moraes e Rodrigo Senra são os grandes responsáveis por trazer essa inovação ao cenário mato-grossense. Eles estão à frente da única empresa certificada para treinamento e revenda de soluções Autodesk BIM no Estado.

Segundo os sócios, as soluções Autodesk BIM permitem explorar e avaliar a viabilidade técnica de um projeto antes de sua construção, melhorar a confiabilidade de custos, visualizar os processos de construção através da simulação 4D e da verificação de interferências, aumentar a coordenação entre as partes interessadas ao longo do processo de projeto e construção e, o melhor, prever, gerenciar e comunicar os resultados do projeto.

Os benefícios das ferramentas BIM também se estendem ao ciclo de vida das edificações, além do design e da documentação e podem ser utilizados ainda para suportar técnicas de construção, planejamento de construção, feedback de custos e quantidade, fabricação e gerenciamento de instalações.

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Rodrigo explica de que forma o processo de construção evoluiu. Da prancheta e nanquim, os profissionais passaram ao computador. Com o 2D, o projeto era desenvolvido, mas tratava-se apenas de um desenho digitalizado. “Agora, o processo pode ser todo visualizado em 3D.  Assim, o profissional pode navegar por ele e explorar os ambientes em todas suas minúcias. É um projeto que você vai construindo virtualmente e, se você erra, é mais barato arrumar lá do que na obra, depois de construída”. Segundo Rodrigo, quando o profissional modela em 3D, o software alerta para erros e ele pode fazer testes estruturais dentro do ambiente virtual.

Sem erros na construção

“Dentre as obras para a Copa do Mundo, foram noticiados erros grotescos em algumas construções, como foi o caso de uma via em São Paulo projetada para que ônibus articulados circulassem por ela, mas depois de pronta, é que notaram que havia um erro. Quando o ônibus foi passar pela primeira vez, não deu certo. E ela teve então que ser refeita para cumprir sua finalidade. Sabemos também de um erro em uma obra de viaduto em Cuiabá. Se essa ferramenta fosse utilizada, todas essas situações poderiam ser evitadas com a utilização da metodologia BIM”. Ou seja, as obras não precisariam ser refeitas e claro, haveriam menos danos aos cofres públicos.

“Essas situações poderiam ter sido visualizadas na fase do projeto, sendo assim, quando o profissional utiliza o software, tem menos chances de errar. E dá para construir de tudo com o BIM, de casinha de cachorro a grandes ginásios, cidades planejadas, expansão, ocupação, reorganização de espaços”, aponta.

Segundo Senra, essa é uma tendência tão forte que em São Francisco, nos EUA,  o modelo Building Information Modeling  já foi até mesmo atualizado para o CIM, o City Information Modeling que permite que os próprios habitantes possam fazer sugestões de aprimoramento de obras e alertar para eventuais erros.

Orçamento e prazo precisos

O sócio de Rodrigo, Ademir José Moraes, usa uma máxima: “a meta agora é construir antes de construir”. Sendo utilizado no Brasil já há quase 10 anos, principalmente na iniciativa privada, o BIM está sendo implantado em nível governamental no Brasil por um decreto do Governo Federal,, de maio de 2018. “Mas a ideia é que ele passe a ser expandido para todo mercado”. A Secretaria de Infraestrutura de Mato Grosso tornou-se a pioneira no Brasil ao exigir em um de seus editais – precisamente da construção de 3 mil quilômetros de rodovia – a adoção da ferramenta pelos proponentes à execução do projeto.

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

“Além de prevenir eventuais erros, essa metodologia oferece precisão no orçamento. Em países como EUA, Inglaterra e Finlândia, é obrigatório que os projetos sejam modelados com este software. Como ele é mais assertivo e tem prazo de execução preciso, certamente que ele inibe superfaturamento e consequentemente, que a obra seja instrumento de corrupção”, explica Ademir. Segundo ele, no Chile, será implantado em sua totalidade até 2020. No Brasil, há uma sugestão de alteração na lei de licitações, porém, ainda está parada no Congresso.

“A gente costuma exemplificar às construtoras de edifícios comerciais e residenciais, a exemplo, o software representa uma economia de 20% em cada obra. Se são feitos cinco prédios, eles terão recursos para construir um sexto”.

Ademir e Rodrigo abrem caminho para uma mudança cultural na área da construção. “Ou vai pelo amor, ou vai pela dor [no bolso]”, descontrai Ademir. Ele alerta também para que interessados em se adaptar aos novos tempos procurem consultoria em canal oficial, como sua empresa.

“Gostaria de alertar sobre a utilização de softwares piratas. Além do profissional abrir caminho para surpresas desagradáveis na sua ferramenta de trabalho – dos quais os vírus são o menor dos problemas –, ele corre o risco de ser multado em 3 mil vezes o valor que pagaria utilizando meios legais para se capacitar”, arremata.

Interessados podem acionar os sócios-proprietários do Centro de Treinamento Autorizado AutoDesk, que fica na avenida Historiador Rubens de Mendonça, 2254 – Sala 204, no Edifício American Business Center. Ou ainda, agendar uma visita pelos telefones (65) 3358-7952/98406-8476/

Saiba mais no site: http://www.bimacademy.com.br

COMENTÁRIOS

  1. Interessados podem acionar os sócios-proprietários do Centro de Treinamento Autorizado AutoDesk, que fica na avenida Historiador Rubens de Mendonça, 2254 – Sala 204, no Edifício American Business Center. Ou ainda, agendar uma visita pelos telefones (65) 3358-7952/98406-8476/

    Saiba mais no site: http://www.bimacademy.com.br

Deixe um comentário

Please enter your name here
Please enter your comment!

DESTAQUES

Bairro Cuiabá História Municípios Policia
Estudante se sensibiliza e vende brownies para comprar cadeira de rodas a adolescente com paralisia cerebral
Bombeiros não liberam Rock Arena e público é barrado na entrada do evento; veja vídeo
MD: Droga sintética tema de música é apreendida pela primeira vez em Sinop
Assembléia Legislativa Câmara Municipal Eleições 2018 Governo Judiciário Partidos Prefeitura
Personagens inusitados e nomes curiosos: as figuras carimbadas de toda eleição
População de MT vai poder escolher entre 519 candidatos nas eleições deste ano
Carreta carregada de cerveja tomba e carga é saqueada em Sorriso
Agricultura Agropecuária Economia Agrícola Indicadores Agrícolas Pecuária Tecnologia Agrícola
Fazenda que produz mais de 37 mil litros de leite por dia atrai atenção dos mato-grossenses
Vendas de carne bovina crescem 11% e somam US$ 3,5 bilhões
Fazendeiros que desmataram 242 hectares terão que pagar R$ 150 mil
Artes Cênicas Artes Plásticas Artesanato Cinema Comportamento Cultura Popular Gastronomia LIteratura Música
Duelo estadual de MCs terá seletivas nas batalhas de Cuiabá e VG até outubro; confira datas
Shows internacionais invadem o gramado da Arena Pantanal em Cuiabá
Rede que conecta pensadores sobre mundo contemporâneo será lançada na UFMT
Corrupção Economia Eleições Estados Política
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 27 milhões na quarta-feira
Governo procura 67 pessoas para pagar indenização por trabalho escravo
Decreto proíbe cobrança por cadeira de roda em viagem rodoviária
Concurso Dicas Estágio Vagas de Emprego no Mato Grosso
Por R$ 23 mil, Tribunal de Justiça de Mato Grosso lança concurso para magistratura
Sejudh abre concurso para agentes penitenciários com salários de até R$ 3 mil
Sine Municipal oferece 78 novas oportunidades para quem deseja retornar ao mercado de trabalho
X