Sob desgaste das queimadas, governo de MT planeja investir R$ 339 mi em turismo

Recurso previsto para obras e incentivos até 2022 inclui ações para o Pantanal e ecoturismo em aldeias indígenas

Fotos: Divulgação

O governo de Mato Grosso planeja um investimento no turismo da Baixada Cuiabana como alternativa de negócio ao agro. Cerca de R$ 339 milhões são cotados para a área de infraestrutura e ao incentivo de explorações naturais nos municípios que compõem a Baixada e outros potenciais. 

“Não precisamos recuperar a imagem do Pantanal. O povo está só vendo as queimadas que estão acontecendo lá nesses últimos dias. Ao mesmo tempo, precisamos dar alternativa para a Baixada Cuiabana, com negócio possível na região. O agro e a indústria estão se expandindo para o interior”, afirmou o governador Mauro Mendes. 

O plano de investimento para o turismo vai do incentivo à pesca esportiva ao ecoturismo indígena, cuja trajetória de visitação inclui aldeias de algumas etnias. 

O Pantanal mato-grossense deve receber incentivo pelo programa Pantanal-Tur, para auxiliar na divulgação do turismo de pesca esportiva e ecoturismo (observação de onças, de pássaros e trilhas). A estimativa é de São R$ 46,7 milhões de investimentos. 

Em Chapada dos Guimarães, haverá inicialmente investimentos em locais como o Portão do Inferno e Véu de Noiva. Além deles, também contarão com obras e ações outros municípios da Baixada Cuiabana. No total, serão investidos R$ 67,5 milhões. 

Já o ecoturismo indígena está previsto em aldeias localizadas em Campo Novo do Parecis, Sapezal, Barra do Bugres, Canarana, Tangará da Serra. A rota incluiria visitação, acompanhamento da rotina dos povos indígenas, danças e apresentações culturais.  

“No Araguaia, por exemplo, há muito o que ser explorado na questão do turismo. Além de ser um lugar bonito, essa atividade contribuirá para o fortalecimento econômico na região. Mas, para isso, vamos trabalhar formas de melhorar o acesso terrestre e investir em pontos de conexão de internet”, explicou o secretário adjunto de Turismo, Jefferson Moreno. 

Para infraestrutura, estão reservados R$ 120 milhões em ações para conectividade em pontos de acesso à internet em áreas turísticas de todo o Estado, melhoria dos acessos aos pontos turísticos e da infraestrutura local. 

A lista de investimento inclui também a construção de seis orlas turísticas, em Barão de Melgaço, Santo Antônio de Leverger e Cáceres e em outros três locais a serem definidos, no valor de R$ 55 milhões; e outros R$ 50 milhões para financiamento de projetos em parceria com a Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso (Desenvolve MT). 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTeve o WhatsApp clonado? Projeto quer obrigar aplicativos a resolver o problema
Próximo artigoProjeto obriga agressor a custear tratamento de animal maltratado