Só metade dos brasileiros controla as contas mensais; veja 3 dicas para começar

Confiar na memória é o principal argumento de quem não anota nenhum gasto

(Foto: Reprodução)

Confiar na memória. Esse é o principal argumento da maioria dos brasileiros na hora de “controlar” o orçamento da família. Segundo uma pesquisa do SPC Brasil, quase metade dos consumidores (48% deles) não anota as despesas que tem.

E o levantamento aponta ainda que, mesmo entre aqueles que fazem algum tipo de controle, 52% não faz isso com a frequência adequada. Desses, só um terço planeja o mês com antecedência.

Para 39% dos brasileiros, ter controle sobre o orçamento é somente ir anotando os gastos conforme eles vão acontecendo. Ou pior, 27% só anota depois que o mês já acabou.

Superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, Fábio Granja aponta três dicas simples que podem tirar você de dentro dessas estatísticas e te ajudar a ter uma vida financeira mais confortável.

1. Você sabe quanto ganha? Mesmo?

Segundo Granja, parece óbvio, mas não é bem assim.

“Um erro clássico é pensar na sua renda como o valor do seu salário, sem levar em consideração todos os descontos de impostos, plano de saúde, vales e outros benefícios”.

Em outras palavras, o que vale é o que cai na conta e não o que está na anotado na carteira de trabalho.

2. Conheça as despesas extraordinárias

Anotar quanto custa em média a luz, a água e o telefone é fácil. Mas você também precisa contabilizar o remédio comprado por conta daquela doença inesperada ou o serviço do borracheiro, devido aquele pneu furado.

Segundo Granja, conhecer esses gastos que não ocorrem sempre é fundamental para saber o quanto será necessário economizar para, no fim do mês, a conta fechar.

“Aquele que tem o controle de seus gastos não precisará recorrer a empréstimos ou ficar com o nome sujo na praça”.

3. Qualquer meio funciona

O velho caderninho é o meio preferido para fazer o controle do orçamento entre os entrevistados na pesquisa do SPC Brasil. Ele foi eleito como o meio ideal por 36% dos brasileiros.

A planilha no computador ficou na preferência de outros 9% das pessoas ouvidas, enquanto 7% registram as receitas e despesas em aplicativos de celular.

Conforme Granja, se o método for organizado, não importa a ferramenta.

“O importante é nunca deixar de analisar as informações anotadas. Algumas pessoas têm facilidade com planilhas ou aplicativos, mas outras ainda preferem um pedaço de papel”.

Bônus: quite as dívidas!

“Contas atrasadas geram novos custos, devido aos juros que são cobrados”, destaca o superintendente da CLD Cuiabá. E isso impede as pessoas de poupar dinheiro e se programar melhor.

Portanto, por mais difícil que seja, o primeiro passo é sempre tentar pagar tudo que estiver em atraso.

A pesquisa do SPC Brasil mostrou que 48% dos brasileiros ficaram com o “nome sujo” em algum momento no ano passado. Mas a experiência foi benéfica para parte deles. Cerca de 39% passaram a controlar as contas após isso.

Mas, realmente, não é tarefa fácil. De acordo com a pesquisa, 78% dos entrevistados até conseguem terminar o mês com todas as contas quitadas, mas 33% acaba o mês sem um centavo de sobra no orçamento.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorKobe Bryant deve ser homenageado no Oscar 2020
Próximo artigoDiretor do game God of War pede por série na Netflix

O LIVRE ADS