Sindimed diz que falta de estrutura de atendimento contribuiu para morte de médicos

Entidade aponta erro no fluxo de pacientes com sintomas dentro das unidades e afirma que consultórios não têm ventilação

Imagem ilustrativa (Foto: Freepik)

O Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) atribui a morte de dois profissionais e a infecção de 112 por covid a falta de estrutura de atendimento, tanto na rede pública como privada.

Segundo a entidade, não existe um fluxo adequado para os pacientes que apresentam os sintomas nas unidades e grande parte dos consultórios não tem ventilação, o que torna o ambiente favorável ao contágio.

As estatísticas, que são do Conselho Regional de Medina (CRM), tendem a crescer, caso não sejam tomadas medidas eficazes, afirma o diretor de comunicação do Sindimed, Adeildo Lucena. Ele diz que a situação não afeta somente os médicos, mas todos que estão na linha de frente.

Em uma reunião realizada na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (29), a entidade defendeu a instalação de tendas abertas para atendimento, bem como reforço nas ações de acompanhamento dos doentes que estão em casa e a distribuição de “kit covid” para quem apresentar os sintomas.

Assim, os pacientes não precisariam ir até as Unidades de Pronto-atendimento(UPAs), que estão lotadas, o que aumenta o risco de proliferação da doença.

“Não é só atender e medicar. Se faz necessário acompanhar os pacientes suspeitos ou já confirmados. A coordenação dos cuidados é muito importante para se antecipar o agravamento dos casos. Com uma coordenação adequada isso pode ser feito na atenção primária, que dispõe de profissionais competentes e comprometidos. Só precisam de proteção e condições de trabalho. Médicos têm, o que falta é gestão. ”, sugeriu Lucena.

Quanto à distribuição de medicamentos, o diretor explicou que vários relatos de médicos chegam ao conhecimento da entidade. Eles falam que os doentes não estão encontrando o remédio para vender nas farmácias.

Vítimas fatais

Os médicos que morreram por conta da doença foram Agnaldo Cesário da Silva – 22 de julho -, de Lucas do Rio Verde, e Reinaldo de Oliveira – 28 de julho -, de Cuiabá.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGargalos de armazenamento pedem soluções inteligentes e customizadas
Próximo artigoCuiabá e Várzea Grande têm mais de um milhão de cartas e encomendas paradas

O LIVRE ADS