Sindicato diz que servidores são excluídos da fila de vacinação em Cuiabá

Médicos e enfermeiros que atual em setores administrativos estariam sendo até "constrangidos", segundo entidade de classe

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O Sindicato dos Servidores da Saúde Pública de Mato Grosso (Sisma) diz que profissionais da saúde não estão sendo imunizados contra a covid-19 em Cuiabá, mesmo com o cadastro liberado pela prefeitura. 

A aplicação da vacina estaria sendo negada no polo instalado no Centro de Eventos de Pantanal. Todos trabalham em setores administrativos de órgãos de saúde, mas teriam contato direto com pessoas. Por exemplo, no Serviço de Atendimento de Urgência (Samu), Central de Regulação, farmácias e em serviços de home care. 

“Médicos, enfermeiros estão sendo constrangidos na fila. Não estão sendo vacinados com a justificativa de que são servidores estaduais e ainda não chegou a hora deles serem vacinados”, disse a presidente do Sisma, Carmen Machado. 

A seletiva estaria sendo feita por readequação do plano nacional de vacina, que passou a dar prioridade máxima a profissionais que atuam na linha de frente de combate à pandemia, ou seja, que têm contato direto com pacientes infectados.

LEIA TAMBÉM

Contudo, o Sisma afirma que uma resolução aprovada terça-feira (16) pelo Conselho de Intergestores Biparte (CIB) autoriza a imunização de profissionais de saúde do setor administrativo que tenham contato frequente com pessoas.  

Em ofício encaminhado às secretarias de Saúde do Estado (SES) e de Cuiabá, a entidade pediu a instalação de postos de vacinação próprios para a imunização imediata desses trabalhadores. 

O que diz a Prefeitura?

A Secretaria de Saúde de Cuiabá diz que a vacinação ocorre de acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI) e os informes técnicos do Ministério da Saúde e com transparência dos atos. 

Cita a circular nº 33 do Ministério da Saúde, que diz que “diante do contexto de não disponibilidade imediata de vacina para todos os grupos suscetíveis à doença, de forma que estão sendo priorizados primeiramente os grupos de maior risco para agravamento pela doença caso venham a se infectar”. 

“Em seguimento, vacinação das populações de maior vulnerabilidade e exposição aos impactos da pandemia e dos trabalhadores dos serviços essenciais”, pontuou. 

Veja a íntegra da nota: 

“Sobre a priorização dos grupos a serem imunizados contra o coronavírus, a Secretaria Municipal de Saúde esclarece: 

-Todo o trabalho da campanha de vacinação está sendo realizado com transparência e seguindo rigorosamente o Plano Nacional de Imunização – PNI e os informes técnicos do Ministério da Saúde. 

-Segundo o Ofício Circular nº 33 do Ministério da Saúde a priorização de grupos populacionais para a vacinação foi necessária diante do contexto de não disponibilidade imediata de vacina para todos os grupos suscetíveis à doença, de forma que estão sendo priorizados primeiramente os grupos de maior risco para agravamento pela doença caso venham a se infectar. 

-Mediante o grande número de vidas ceifadas pela Covid-19 é necessário preservar a força de trabalho para manutenção dos serviços de saúde. E, em seguimento, vacinação das populações de maior vulnerabilidade e exposição aos impactos da pandemia e dos trabalhadores dos serviços essenciais. 

-A disponibilidade de vacinas ainda não está com cronograma regular de acordo com o Ministério da Saúde, desta forma, está sendo utilizada a estratégia de etapas dos grupos prioritários com base na quantidade de doses entregues pelos laboratórios produtores. As doses são enviadas às Unidades Federativas, conforme disponibilidade, para grupos previamente definidos. 

-Importante ressaltar que não seguir a ordem priorizada pelo PNI pode acarretar na falta de vacinas para os grupos de maior risco de adoecimento e óbito pela Covid-19.  

-Uma vez que nas primeiras etapas da campanha nacional de vacinação não foi possível cobrir 100% dos trabalhadores da saúde o PNI orientou vacinar primeiramente os trabalhadores que estiverem em unidades de atendimento à Covid-19, porém, ficou facultado às Unidades Federativas definirem em esfera biparte essa estratificação de acordo com suas respectivas realidades locais. 

-À medida que Cuiabá for recebendo mais doses de vacina, todos os profissionais de saúde serão vacinados”. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCVV busca voluntários
Próximo artigoMortes em casa por causas respiratória e cardíaca bateram recorde em MT