Silval diz estar arrependido e afirma: “o crime não compensa”

O ex-governador conseguiu a progressão da pena para o regime semiaberto

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Após passar por audiência na tarde desta terça-feira (21), na Vara de Execuções Penais de Cuiabá, o ex-governador Silval Barbosa disse estar arrependido dos crimes que cometeu e mandou um recado para a população: o crime não compensa.

Sentenciado a mais de 25 anos de prisão por duas ações da Operação Sodoma, que apurou a existência de uma organização criminosa que praticava corrupção no governo do Estado, o ex-governador conseguiu a progressão da pena para o regime semiaberto na última quarta-feira (15).

Quando questionado pela imprensa se o crime compensa, diante de todo o esquema que confessou, e do tempo que passou recluso, Silval foi rápido em responder que “não”. Ainda, garantiu que não está em uma posição confortável, como se esperava.

“Não estou em uma situação confortável.  Estou há três anos e oito meses preso, e ainda continuo cumprindo pena, continuo de tornozeleira, que todo mundo fala que não estou usando. Não é verdade, eu continuo, e tem mais um tempo ainda de tornozeleira, e vou cumprir a minha pena”, disse.

O ex-governador estava em prisão domiciliar e já cumpriu 3 anos e 8 meses de prisão, tendo passado 21 meses em regime fechado e os outros 23 meses no domiciliar. Pelo termo de colaboração premiada firmado por Silval com o Ministério Público Federal (MPF), homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ele deverá cumprir 20 anos de reclusão.

Agora, no regime semiaberto, o ex-governador continua sendo submetido a medidas cautelares impostas pelo juiz Geraldo Fidélis, como o recolhimento a partir das 22h, a obrigação de ter um trabalho e o monitoramento por tornozeleira eletrônica.

À imprensa, o ex-governador garantiu que não voltará para a política. De acordo com Silval, ele deverá trabalhar com a empresa da família, no ramo da comunicação.

“Eu estou contribuindo com a justiça. Daquilo que eu cometi de atos ilícitos com mais pessoas, empresas e tudo mais, relatei, para passar o estado a limpo. Me arrependo por isso profundamente e, agora, quero recomeçar minha vida, do zero, pagando minha pena e colaborando com a justiça”, finalizou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBaleado, caminhoneiro tira arma de ladrão e acerta dois tiros nele
Próximo artigoPesquisadores defendem uma política nacional de Inteligência Artificial

O LIVRE ADS