Silval diz que conselheiros afastados do TCE devem confessar e pagar por “erros”

O ex-governador de MT, prestou depoimento na Controladoria-Geral do Estado

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Antes de prestar mais um depoimento, nesta terça-feira (03) na Controladoria-Geral do Estado (CGE), o ex-governador do Estado, Silval Barbosa, disse que os conselheiros afastados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), ao invés de atacá-lo, deveriam colaborar com a Justiça.

“Eles deveriam contar o que aconteceu e pagar pelo erro que nós cometemos. Eles, como [membros] do órgão controlador, deveriam ter a responsabilidade e falar a verdade”, disse o réu confesso de vários crimes.

Silval rebateu as acusações de Antônio Joaquim, de que não teria apresentado provas nas delações que resultaram no afastamento de cinco conselheiros. O ex-governador afirmou em depoimento à Justiça Federal, cujo vídeo vazou para a imprensa, que os membros do Tribunal de Contas utilizaram relatórios das obras da Copa do Mundo de 2014 para extorqui-lo.

“Não estou acusando falsamente ninguém. Só estou mostrando o que aconteceu e a responsabilidade de cada um. Tudo que eu tenho é documentado. Tudo que eu passei em propina para o TCE, pela extorsão dos conselheiros, encabeçada pelo José Carlos Novelli e pelo Sérgio Ricardo, eu mostrei documentos. Está tudo documentado”, disparou.

Especificamente sobre Antônio Joaquim, disse ainda que ele tem “direitus esperniantis” de se defender. Todos os conselheiros afastados negam a acusação.

Nesta terça, Silval presta depoimento em processo administrativo de responsabilização que tramita contra as empresas Trimec Construções e Terraplenagem Ltda, de propriedade de Wanderley Torres Fachetti, e Strada Construtora e Incorporadora Ltda (SM Construtora), de propriedade de Patrício Alonço dos Reis e Serafim Martins.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPelo WhatsApp, Comando Vermelho planejava ataques a agentes prisionais
Próximo artigoÁreas de serviços essenciais continuam na liderança de reclamações ao Procon