Setor sucroalcooleiro apresenta avanços e gargalos do setor ao Governo

No encontro, o presidente do Sindalcool apresentou dados da representatividade do setor para a economia Estadual

Foto: Assessoria

Representantes do setor sucroalcooleiro de Mato Grosso estiveram reunidos na última semana com os secretários chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda, além do Deputado Dilmar Dal Bosco, Líder do Governo na Assembleia Legislativa, para apresentar os avanços e demandas do setor. O presidente do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso – SINDALCOOL/MT, Silvio Cezar Pereira Rangel, apresentou dados que demonstram a representatividade do setor para a economia do Estado.

O otimismo sobre a produção de etanol deve-se a matéria prima em abundância, com o advento do biocombustível produzido a partir do milho. Maior produtor nacional do grão, com uma produção que só cresce, o estado conta, atualmente, com 11 unidades produtoras de etanol, e mais três apenas de etanol de milho para entrar em operação até 2020.

Foto: Assessoria

Durante a reunião, Silvio Rangel apresentou dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que demonstram não somente a evolução do setor, como também os gargalos que emperram o crescimento.

[featured_paragraph]A falta de logística é hoje um dos grandes problemas que impede os produtos do Estado de chegar aos demais mercados com preço competitivo, pois as rodovias estão incapacitadas de atender às novas e crescentes demandas do aumento expressivo da produção. “São urgentes os investimentos em logística no estado e no Brasil como um todo, considerados os investimentos em produção em andamento. É necessário valorizar o produto e produtor local, possibilitando o fluxo adequado desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto final de consumo”, pontuou.[/featured_paragraph]

Para o diretor executivo do Sindalcool, Jorge dos Santos, esse é um problema que este ano deve impactar ainda mais o setor, uma vez que aumentará a produção estimada para 2019. “Mesmo com o consumo interno aumentando graças à qualidade e preço do etanol produzido aqui, teremos ainda que exportar mais de 1 bilhão de litros de Mato Grosso. Além da precariedade de nossas estradas, enfrentamos um alto custo no frete que chega a 17% do valor do produto”.

Durante a reunião, também foi reiterada a necessidade do estudo de implantação do etanolduto. No início do ano, o Sindalcool-MT, juntamente com a diretoria da Logum Logística estiveram reunidos com o governador Mauro Mendes, para tratar da implantação da infraestrutura dutoviária para transporte de etanol de Mato Grosso até Paulínia (SP). O objeto é que o duto se estenda de Senador Canedo até Mato Grosso.

Foto: Assessoria

A distância de Senador Canedo até Cuiabá, por exemplo, é de 920 km. “É urgente a necessidade de resolvermos a questão logística para escoamento da produção de etanol de Mato Grosso. Não há dúvidas que Mato Grosso pode se tornar o maior produtor mundial de etanol, a única coisa que pode impedir isto de acontecer é a questão logística”, aponta o presidente do Sindalcool-MT, Silvio Cezar Pereira Rangel.

Segundo o secretário Mauro Carvalho, as demandas apresentadas serão encaminhadas ao governador para que sejam encontradas soluções principalmente no tocante à logística. Também participou da reunião o presidente da União Nacional do Etanol de Milho, Ricardo Tomczyk.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFernanda Montegro segue internada após passar mal no Rio Grande do Sul
Próximo artigoSequência de A Maldição da Residência Hill, sucesso da Netflix, é confirmada para 2020