Sesp investiga áudios que anunciam represália do CV

Em áudios que circulam pelo WhatsApp, membros de facção agiriam em resposta à suspensão de visitas na PCE

Reprodução Internet/Ilustrativa

“Vai ter salve para tacar fogo no ônibus. (…) quebraram os caras no pau desde cedo, estão sem luz”.

Este é um trecho de um dos áudios que circulam nesta quarta-feira (14) por WhatsApp e que supostamente anunciam um “salve” da facção criminosa Comando Vermelho, em represália à suspensão de visitas na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.

Em resposta, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) esclarece que os áudios estão sendo analisados e os responsáveis por difundi-los serão acionados criminalmente.

Uma das pessoas que difundiu o áudio, Samuel de Souza Valdivino, foi preso em flagrante na terça-feira (13.08) às 15h30, em uma ação integrada da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar no município de Lucas do Rio de Verde (360 km a Médio Norte de Cuiabá).

Ele responderá pelos crimes de tráfico de drogas e foi enquadrado no artigo 2º da Lei 12850/2013, por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa, cuja a pena é de 3 a 8 anos reclusão, além de multa.

Muitas pessoas que receberam o áudio ficaram alarmadas. Em um segundo áudio, um criminoso anuncia que serão queimados ônibus e que a população precisa ficar alerta e não sair de casa depois da 22h e nem muito cedo, antes das 6h.

Em outra gravação, um homem diz que o salve seria uma resposta à “máquina opressora do Estado de Mato Grosso”, dizendo que se tratava da “família CV, lutando contra a máquina opressora do Estado de Mato Grosso (…) oprimindo nossos irmãos dentro do Sistema Penitenciário”.

Reforma PCE

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a operação de reforma na Penitenciária Central do Estado foi iniciada na segunda-feira (12). São realizadas mudanças nas celas, pinturas e retirada de produtos que estão em desconformidade com o Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário.

Além da reforma, a operação de revista geral tem o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento a crimes que possam ser cometidos dentro da unidade penal, além de se antecipar a possíveis atos delituosos.

Durante esta semana estão suspensas as visitas aos reeducandos, assim como o atendimento a advogados e defensores públicos. Apenas as escoltas emergenciais, em caso de saúde, serão realizadas.

A operação é realizada apenas na Penitenciária Central do Estado, não sendo estendida a nenhuma outra unidade no interior ou mesmo na Capital.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDisney está preocupada com sátira nazista em novo filme de Taika Waititi
Próximo artigoDamásio oferece MBA do IBMEC voltado para o agronegócio

O LIVRE ADS