Servidores públicos de MT devem quase R$ 2 bilhões de empréstimos consignados

A CPI dos Consignados, instalada na Assembleia Legislativa, encerrou os trabalhos nesta quarta-feira com a constatação de um débito "per capita" de cerca de R$ 19 mil

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

CPI dos Consignados, instalada na Assembleia Legislativa, encerrou os trabalhos nesta quarta-feira (12) com a constatação do superendividamento de mais de 100 mil servidores públicos do Estado, num débito per capita de cerca de R$ 19 mil – o que representa um total de aproximadamente R$ 2 bilhões em dívidas. Ao apresentar o relatório final, os membros da comissão propuseram um projeto de lei que visa, além de regulamentar a prática de empréstimos consignados no Estado, pôr fim ao cartão de crédito consignado.

“Na análise da documentação e oitivas realizadas ao longo de oito meses, verificou-se que atualmente o cartão de crédito consignado se tornou um grande problema, uma causa relevante para o superendividamento dos servidores públicos. Quanto as promessas de dinheiro fácil, vê-se que essa disponibilidade irresponsável de crédito pelos fornecedores aos consumidores deve ser inibida, uma vez que o servidor é induzido a contratar sem qualquer planejamento”, diz trecho do documento.

No relatório, a CPI também ressaltou a dificuldade dos servidores públicos em obter informações sobre os empréstimos contraídos e a impossibilidade da formalização de acordos extrajudiciais com as instituições bancárias.

“Estamos propondo um projeto de lei inovador no país para regulamentar o empréstimo consignado no Estado, com o intuito de acabar com esse endividamento, que totaliza cerca de R$ 2 bilhões em Mato Grosso, e reflete na forma como os servidores prestam os serviços. Ouvimos relatos de alguns que tentaram até suicídio”, lembrou o presidente da CPI, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB).

O tucano ressaltou ainda que a proposta quer proibir o cartão de crédito consignado, pois a modalidade é considerada uma “armadilha”. “Pode assustar um pouco no início, mas o judiciário, por exemplo, não usa mais, pois é uma dívida que não acaba nunca. Além disso, queremos reduzir a taxa de consignação, transparência nas taxas de juro, prazos para que as instituições prestem informações. Enfim, mais harmonia nessa relação de consumo”.

A comissão encaminhou os documentos ao Ministério Público Estadual e Federal recomendando o aprofundamento das investigações quanto a eventuais abusos nos direitos do consumidor, bem como sugeriu que o Executivo Estadual promova a imediata revisão dos contratos e métodos adotados hoje para autorizar as consignações, assim como que estabeleça prazos para que as instituições financeiras apresentem os valores pagos, a pagar e pendentes dos servidores públicos.

CPI 

A CPI dos Consignados foi instalada com objetivo de analisar a legalidade das condições impostas nos contratos, se estão em conformidade com as regras do sistema nacional financeiro ou se há abuso na cobrança das taxas de juros, bem como o acesso das operadoras de crédito às informações pessoais dos servidores ativos e aposentados.

Além do deputado Guilherme Maluf, também compôs a CPI os deputados Adalto de Freitas (Patri), o professor Allan Kardec (PDT), Pedro Satélite (PSD) e Gilmar Fabris (PSD), além dos suplentes Wagner Ramos (PSD), Oscar Bezerra (PSB), Wancley Carvalho (PV), Max Russi (PSB) e a deputada Janaína Riva (MDB).

Os consignados

Segundo informações da Secretaria Estadual de Gestão (Seges), que faz a gestão do Serviço de Controle de Consignação de Mato Grosso, atualmente cerca de 60% dos servidores utilizam empréstimos consignados, que podem ser contraídos com 9 bancos, sendo eles Sicredi, Bancoob, Banco do Brasil, Banco Olé Consignado, Banco BRB, Banco Daycoval, Banco PAN, Banco Safra e Banco BMG.

Cada servidor pode comprometer no máximo 30% de seu salário com cada parcela mensal do empréstimos e 15% no caso do cartão de crédito. O limite é chamado de margem consignável, que pode ser consultada por meio do endereço eletrônico www.portaldoconsignado.com.br.

 

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtirador de Campinas usou pistola comprada ilegalmente, diz polícia
Próximo artigoNovo Pronto Socorro de Cuiabá será inaugurado dia 28, com a presença de Michel Temer