Servidores do Hospital Júlio Muller decidem entrar em greve

Entre os profissionais que irão paralisar as atividades, estão técnicos de enfermagem, enfermeiros e trabalhadores do setor administrativo

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Os servidores da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que prestam serviço ao Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM) decidiram, em assembleia realizada na última quarta-feira (30), entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima semana.

Entre os profissionais que irão paralisar as atividades, deliberada por maioria dos trabalhadores, estão técnicos de enfermagem, enfermeiros e trabalhadores do setor administrativo.

Conforme informações do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado (Sindsep-MT), Carlos Alberto de Almeida, que representa a categoria, os trabalhadores não aceitaram a proposta da empresa em acordo coletivo firmado em 2017.

“A proposta é indecente. A empresa quer pagar 100% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) somente de agora em diante, não querem pagar o retroativo e, com isso, perdemos 15 meses. Estamos reivindicando o INPC cheio”, declarou ao LIVRE.

Ainda segundo o presidente, será realizada uma reunião com a direção da empresa no início da próxima semana para definir quais serviços essenciais serão mantidos.

A paralisação pode ser iniciada na terça (05) ou na quinta-feira (07), dependendo da data em que for protocolada a decisão da assembleia, respeitando o prazo regimental de 72h.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO xadrez está na moda
Próximo artigoContra a crise, trabalho