Sequência de Gladiador depende apenas da agenda do diretor Ridley Scott, afirma atriz

A trama de Gladiador se passa nos dias finais do reinado do imperador romano Marcus Aurelius. Filme pode estar ganhando continuação após pandemia.

Após o anúncio de uma sequência de Gladiador em 2018, poucas informações sobre a produção do filme foram divulgadas. Agora, a atriz Connie Nielsen revelou que o andamento do filme depende apenas da agenda do diretor Ridley Scott.

Esse e outros filmes imperdíveis você pode ver e acompanhar na SKY.

“Nós já ouvimos dos produtores. Acho que é só uma questão de qual filme vem primeiro na agenda muito apertada de Ridley. E então, acho que será uma questão do COVID e quando poderemos voltar ao trabalho.”, disse a atriz em entrevista a EW.

Apesar de não ter sido oficialmente confirmada no elenco do novo filme, a atriz que interpretou a personagem Lucilla, irmã mais nova de Commodus (Joaquin Phoenix), disse estar interessada em participar da produção: “É obviamente um projeto maravilhoso, então é claro que eu me interessaria.”, completou.

A trama de Gladiador se passa nos dias finais do reinado de Marcus Aurelius (Richard Harris), o imperador romano desperta a ira de seu filho Commodus (Joaquin Phoenix) ao tornar pública sua predileção em deixar o trono para Maximus (Russell Crowe), o comandante do exército romano. Sedento pelo poder, Commodus mata seu pai, assume a coroa e ordena a morte de Maximus, que consegue fugir antes de ser pego e passa a se esconder sob a identidade de um escravo e gladiador do Império Romano.

Através da SKY TV, você pode acompanhar essa e outras séries com exclusividade.

Ainda não há previsão de lançamento da sequência do filme.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMPF investiga dívida de senador Carlos Fávaro com gráfica e suspeita de caixa 2
Próximo artigoPrefeitos de MT querem que eleição seja adiada para 2022

O LIVRE ADS