Sem vencedor: cidade de MT elege candidata barrada e terá que votar de novo

Inês Coelho (DEM) e Licoln Saggin (PL) - os dois primeiros colocados - tiveram as candidaturas anuladas pela Justiça Eleitoral

(Foto: Reprodução TSE)

Os moradores de Torixoréu, que fica a 577 km de Cuiabá, ainda não sabem quem comandará o município pelos próximos quatro anos. Inês Coelho (DEM), primeira colocada na eleição de domingo (15), e seu adversário, Licoln Saggin (PL), o segundo mais votado, tiveram as candidaturas anuladas.

Eles concorriam ao cargo sub judice, aguardando uma resposta da Justiça Eleitoral sobre seus casos. Nesta terça-feira (17), o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) negou os recursos dos dois.

A tendência agora é que o vereador eleito pelos demais para presidir a Câmara de Torixoréu se torne um prefeito tampão. Isso, pelo menos, até que uma nova eleição na cidade seja feita.

É que a Justiça Eleitoral não considera dar posse ao terceiro colocado. Rubão (Pros) só conseguiu 196 votos (7,27%).

Impugnados

Inês Coelho, que tentava a reeleição, acabou barrada porque em 2021, sua família iniciaria um terceiro mandado. Antes delas, o marido também já foi prefeito.

A candidata teve 1.391 votos, o que corresponde a 51,61% dos eleitores da cidade. Ainda pode recorrer junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, quem sabe, ser empossada.

Já Licoln Saggin, o segundo colocado, tem uma condenação por improbidade administrativa que, segundo o TRE-MT, o impede de ser eleito.

A exemplo do que a prefeita pode fazer, ele já recorreu ao TSE e aguarda resposta. Saggin obteve 1.109 votos, ou seja, conquistou 41,12% dos eleitores da cidade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNão é o Beto!
Próximo artigoClientes do Shopping Estação vão concorrer a um Mitsubishi Eclipse Cross este ano