Sem urgência para o VLT

TJMT deixou para julgar depois do recesso o pedido de Emanuel Pinheiro contra a troca do modal

Ednilson Aguiar/ O Livre

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) negou julgamento em regime de plantão a um mandado de segurança ajuizado pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), para suspender a decisão do governador Mauro Mendes (DEM) que substitui o VLT (Veículo Leve Sob Trilhos) pelo BRT (Bus Rapid Transit).

A decisão foi dada pela desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos. Agora, o pedido será distribuído a outro desembargador para julgamento, mas só após o recesso.

“Não sendo visualizada urgência, risco iminente de perecimento do direito, de dano irreparável ou de difícil reparação, aguarde-se o retorno do expediente normal, para regular distribuição, nos termos do Regimento Interno deste Tribunal”, diz trecho da decisão da magistrada.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil teve superávit de US$ 50,23 bi na balança comercial em 2020
Próximo artigoGol e Asta fazem parceira em quatro rotas de MT