“Sem rostos”, voluntários oferecem comida, banho e roupas limpas a moradores de rua

Uma vez por semana, o Alimentando Almas abre as portas de um salão comercial na região do Porto para aqueles que mais precisam

Arquivo pessoal

Eles são voluntários e preferem não se identificar. O lema adotado é o de que importante é a ação, não quem a realiza. Além disso, a estratégia mantém longe políticos e “personalidades” que, porventura, queiram se promover e acabem deturpando o objetivo do trabalho: oferecer um pouquinho de dignidade para quem mora nas ruas de Cuiabá.

É assim que, há quatro meses, o “Alimentando Almas” abre as portas de um salão comercial na região do Porto, todas as quintas-feiras, a partir das 14 horas, para quem quiser tomar banho, precisar de roupas novas, um corte de cabelo ou o principal: um prato de comida.

Tudo o que é oferecido chega lá através de doações de terceiros ou é bancado pela própria família que deu início à boa ação. Por semana, são atendidas de 40 a 70 pessoas em busca dos mais variados tipos de ajuda.

“Alguns deles pedem emprego, outros pedem para ir para casas de recuperação. Se for uma pessoa que tem condições de trabalhar mesmo, nós ajudamos sim”, conta uma das voluntárias.

O pedido de ajuda para deixar o vício em drogas é um dos mais constantes. Dos que já foram encaminhados para a casa de recuperação, atualmente sete estão em tratamento e dois já “receberam alta”.

A casa de apoio parceira também funciona na base de doações, por isso o Alimentando Almas custeia 100% das despesas dos moradores de rua que encaminha para lá.

Entre os voluntários, há dois médicos. E, por falta de mais dinheiro, o salão comercial do Porto só abre as portas uma vez na semana.

Para contribuir, não é preciso muito. Acessa o Instagram do projeto é o primeiro passo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS