Sem procissão e aglomeração: missa de Corpus Christi é celebrada de forma diferente em Cuiabá

Não sabe o que significa e de onde surgiu essa tradição? O LIVRE te explica

Santíssimo Sacramento, segundo a tradição católica, é o corpo de Cristo (Foto: Arquidiocese de Cuiabá)

Em razão da pandemia de coronavírus, a celebração da solenidade de Corpus Christi foi feita de uma forma diferente neste ano em Cuiabá. Ao invés da tradicional procissão – que sai do ginásio poliesportivo do Colégio São Gonçalo e vai até à Praça da República – a missa com exposição do santíssimo sacramento foi realizada dentro da Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus.

A missa foi presidida pelo arcebispo Dom Milton Santos, às 9h da manhã. Dentro da igreja, os fiéis tiveram que manter o distanciamento e usar máscaras para se proteger do coronavírus.

A celebração também foi transmitida pelo site e redes sociais da Arquidiocese de Cuiabá.

Arcebispo Dom Milton Santos celebrou missa para pequeno número de fieis nesta quinta-feira (11) (Foto: Divulgação)

Após a missa, por volta das 10h15, houve a exposição do santíssimo sacramento e foi proferida uma oração escrita pelo Papa Francisco especialmente para este tempo de pandemia. Dom Milton rezou a oração e, em seguida, concedeu uma benção solene.

“A eucaristia é ação e se reveste de fatos concretos de valorizar as pessoas. Foi o que Jesus ensinou na última ceia, quando fez o gesto concreto de lavar os pés dos discípulos. Com isso, Jesus está nos dizendo que a eucaristia nos faz servidor dos outros, senão não é eucaristia”, disse o arcebispo durante a homilia.

Dom Milton ainda afirmou que, se os cristãos católicos, ao saírem da missa, não realizam gestos concretos na sociedade, ao invés de eucaristia, estão praticando idolatria.

“Temos que sair alimentando quem a gente encontra, seja pelo olhar, com um sorriso, um gesto de caridade. Se eu não faço isso, fiz uma idolatria”, enfatizou.

O que é Corpus Christi?

A solenidade de Corpus Christi – que em português significa “o corpo e o sangue de Cristo” – é comumente conhecida pela procissão feita pelas ruas, com o chamado “santíssimo sacramento”.

Em Cuiabá, assim como em muitas cidades pelo mundo, a festa cristã é marcada pelo tapetes feitos de folhas, flores, pó de cerra e uma série de materiais que cobrem ruas com gravuras em referência aos símbolos bíblicos e da Igreja Católica.

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Todo o simbolismo tem uma explicação especial. Os católicos mantém a tradição de que a hóstia consagrada durante a missa se transforma no corpo e o vinho se transforma em sangue de Cristo.

O fenômeno religioso é conhecido como transubstanciação e ocorre, segundo o catolicismo, por força do Espírito Santo, que é a terceira pessoa da Santissima Trindida. Ela é composta pelo Pai (o Deus Criador), o Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo que, na Bíblia, é citado como o paráclito (palavra grega que significa “o defensor”).

A celebração de Corpus Christi é a única solenidade do ano em que a Igreja Católica faz uma procissão pública com o santíssimo sacramento.

Ao longo do ano, é comum a existência das procissões e festas dos santos, mas no caso da celebração do corpo e sangue de Cristo, a cerimônia é considerada universal, já que a igreja, no mundo inteiro, celebra a mesma data.

Também há outra peculiaridade. A data sempre é celebrada em uma quinta-feira. Isso porque, segundo a tradição católica, Jesus Cristo teria celebrado a última ceia com os apóstolos em uma quinta-feira.

No evento narrado na Bíblia – e segundo a interpretação católica – ele teria instituído a missa e a eucaristia neste dia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmanuel Pinheiro quer novo plano estadual contra pandemia, mas sem o governo de MT
Próximo artigoComércio fechado