Sem poder entrar em prédio, servidores do Detran vistoriam carros na rua

Vistoriadores cobram posicionamento da presidência da autarquia, que descumpriu ordens judiciais para mudança de local

Foto: Divulgação

Servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) denunciam um “descaso” por parte da administração da autarquia, que estaria descumprindo ordens judiciais com relação à 5ª Ciretran de Várzea Grande.

No início da tarde desta terça-feira (3), os funcionários tiveram que trabalhar sob o sol intenso após terem sido impedidos de entrar na sede do órgão. O local está fechado para reforma há mais de dois anos. A Corregedoria do órgão informou que vai verificar o caso.

A mobilização foi organizada pelo Sindicato dos Servidores do Detran (Sinetran), que notificou o órgão sobre a ação na semana passada. De acordo com a presidente do Sinetran, Daiane Renner, os vistoriadores decidiram mudar o local da vistoria por conta própria, após a presidência da autarquia supostamente ignorar uma decisão judicial que considerou o atual local de vistorias “insalubre” para os servidores.

“O Detran vem descumprindo esse prazo judicial e não há nenhum tipo de manifestação por parte da administração sobre isso. Então os servidores decidiram, em protesto a esse descaso da gestão, retornar as atividades no prédio próprio, que é o prédio que deveria estar sendo reformado desde 2016”, disse a representante dos servidores.

No entanto, ao iniciarem o expediente no início desta tarde, os funcionários foram impedidos pela segurança de adentrarem no local. Ainda assim, os servidores decidiram manter as vistorias que estavam pré-agendadas, a fim de não prejudicar a população.

“Os vistoriadores estão tendo que fazer a vistoria na rua, sem banheiro, sem água. Eles estão cumprindo o agendamento e calendário de vistorias, mas reivindicando que o Detran cumpra essa ordem judicial”, finalizou.

Ao LIVRE, a assessoria de imprensa da autarquia informou que a administração já tomou conhecimento do ocorrido e a corregedoria do órgão deve, ainda no início desta tarde, ir até o local. A presidência, por sua vez, não respondeu aos questionamentos da Redação.

Remanejamento
A sede da Ciretran está fechada há dois anos para uma reforma que nunca aconteceu, segundo Daiane. Inicialmente, os trabalhadores foram remanejados para o subsolo do Várzea Grande Shopping, onde a vistoria veicular seria feita. O local foi apontado como um ponto provisório, até que se terminasse a obra na unidade principal.

Após uma denúncia do Sinetran, a juíza Graziele Cabral Braga De Lima, da Vara do Trabalho de Várzea Grande, notificou a autarquia para uma mudança de local. Na ocasião, a magistrada constatou que, conforme denunciaram, não havia condições mínimas de trabalho no local provisório e a situação chegou a ser considerada insalubre. Por isso, determinou que a administração adotasse medidas para resolver a situação. O prazo dado pela Justiça, porém, terminou em meados de maio e os servidores garantem que nada foi feito.

Leia mais:

Justiça do Trabalho notifica Detran-MT por vistoria em “condições insalubres”

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPlanejamento versus Tempo
Próximo artigoCurso abordará competências exigidas pelo agronegócio