Sem brecha para contestação

Conselho Regional de Medicina orienta população que precisa de atestado para tomar a vacina contra a covid-19

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre )

Quem precisa de um atestado médico para comprovar uma comorbidade e conseguir as duas doses da vacina contra a covid-19 deve procurar um médico que já lhe atendia e não os pronto-atendimentos. Essa é a orientação do Conselho Regional de Medicina (CRM).

A dica visa evitar que o atestado corra o risco de ser contestado. Presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed), Adeildo Lucena já havia afirmado em entrevista ao LIVRE que o prontuário – com histórico de consultas e exames – é o que comprova que aquele laudo atestando uma doença é verdadeiro.

A preocupação quanto ao aparecimento de atestados falsos para furar a fila de vacinação foi manifestada pelo Ministério Público de Mato Grosso. 

Em nota, o CRM afirmou que continuará seguindo os procedimentos do Código de Ética e do manual do Conselho Federal de Medicina.

“Toda denúncia ou caso que chegar será avaliado. Caso seja identificada a necessidade, será aberta sindicância para apurar e o caso deve ser julgado pela Câmara de Ética”, pontuou a entidade.

Quanto aos médicos, a orientação do Conselho é para serem criteriosos na emissão de laudos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGaeco cumpre mandados contra o tráfico interestadual de drogas
Próximo artigoFreio nas eleições