Selma Arruda promete entregar nome de suposto chantagista à PF e ao MPF

Conforme fonte do LIVRE, membro do TRE teria cobrado R$ 600 mil da senadora eleita

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A senadora eleita Selma Arruda (PSL), que alegou ter sido chantageada em três oportunidades em relação a processos de suposta prática de caixa 2 durante sua campanha eleitoral, afirma ter registrado boletim de ocorrência contra um dos supostos chantagistas e que, em breve, vai revelar o nome de outro à Polícia Federal (PF) e ao Ministério Público Federal (MPF).

Em determinado momento, ela negar que sua acusação estaria relacionada a algum membro da Justiça Eleitoral – mas uma fonte do LIVRE assegura que essa outra pessoa seria, até bem pouco tempo, bem atuante no Tribunal Regional Eleitoral. Ainda conforme a fonte, a pessoa teria cobrado R$ 600 mil da senadora eleita para “ajudá-la” a se livrar de uma possível decisão negativa.

“Eu tomei medidas em relação a dois desses casos; apenas um deles que eu ainda não tinha tomado. Registrei boletim de ocorrências [em duas supostas chantagens] e avisei as autoridades competentes. Por determinação do Tribunal Regional Eleitoral, a Polícia Federal e Ministério Público Federal vão apurar esse caso. E eu vou falar quem é para a Polícia Federal e Ministério Público Federal”, disse Selma.

Quanto às duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) por suposto caixa 2, a senadora eleita diz que está com a consciência tranquila. Ela, que tem como bandeira o discurso de combate à corrupção, alega que é necessário a política se livrar de condutas como a de chantagens e extorsões. “A gente precisa que esse tipo de estratégia, que eu não diria que é só ilícita, mas imoral, tem que acabar, ter uma política limpa”.

Ainda de acordo com a senadora eleita, as acusações de suposto caixa dois não procedem. “Não tem nenhum fundamento isso e está sendo visto já nas AIJEs em tramitação e estou absolutamente tranquila quanto a isso”, declarou.

O relator das ações contra Selma, o desembargador Pedro Sakamato, ressalta que havendo a comprovação do envolvimento de membros do TRE, as devidas providências serão tomadas. Ele, porém, alega que sendo uma acusação mentirosa, poderá ser aberto um procedimento criminal.

“Não sei se é leviano ou não, se tem prova ou não. Tudo isso tem que ser objeto de apuração. É prematuro dizer que é uma acusação caluniosa, por isso tem que apurar, e apurar a fundo para ver se existe algum membro [do TRE] envolvido em algum tipo de corrupção”, afirmou Sakamoto.

O presidente da Justiça Eleitoral de Mato Grosso, desembargador Márcio Vidal, enfatizou que, diante dos fatos envolvendo suposto envolvimento de membro do TRE em tentativa de extorsão, a denúncia foi levada imediatamente às autoridades competentes.

“A Polícia Federal já abriu um inquérito e o Ministério Público Federal já foi acionado e cabe a eles investigar essa denúncia e depois trazer à baila. Aqueles que realmente tiverem culpa e forem responsáveis deverão ser punidos exemplarmente”, disse.

A senadora eleita Selma Arruda, por meio da assessoria de imprensa, reiterou, nesta terça-feira (18), que não há envolvimento de nenhum membro do Tribunal Regional Eleitoral nas supostas chantagens que ela teria sido vítima.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorShopping inaugura Espaço Família com carrinhos de bebês gratuitos para passeios
Próximo artigoPapai Noel não chega de trenó, mas de transporte coletivo em Cuiabá