Selma nega caixa dois e diz que gastos foram para preparação pessoal

"Com meu dinheiro eu faço o que eu quero", disse a juíza.

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A candidata a senadora Selma Arruda (PSL) negou as acusações de caixa dois na sua campanha. Ela afirmou que os pagamentos que efetuou à agência Genius antes da campanha foram gastos pessoais para sua preparação.

“Não existe caixa dois antes da campanha. E não se paga caixa dois com cheque nominal”, afirmou Selma, em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (1), no hotel Delmond. Ela destacou que todo gasto feito nesse período foi com recursos próprios. “Com meu dinheiro eu faço o que eu quero”, disse.

“Não são gastos de pré-campanha. Eu nem sabia ainda se eu conseguiria ser candidata, se eu encontraria uma coligação pra isso. Eu fiz palestras durante toda a pré-campanha, no estado inteiro, fiz media training, página no Facebook, vídeos. Não pedi votos para ninguém. Não foram atos de pré-campanha, foram atos pessoais de preparação”, disse.

[related_news ids=”102111,102005″][/related_news]

Nesse período, ela emitiu cheques pessoais para a Genius que somam R$ 700 mil, segundo o dono da agência, Luiz Gonzaga Rodrigues Junior, conhecido como Junior Brasa. Ela é alvo de uma ação do publicitário que cobra o pagamento de R$ 1,16 milhão.

“Eu contratei e paguei pelo serviço. E não paguei tudo o que ele cobrou porque o valor era absurdo”, justificou. A candidata afirmou ainda que Brasa não emitiu nota fiscal dos serviços porque não quis. “Todos os dados que ele precisava estavam no cheques que eu emiti”, declarou.

Acusada de corrupção

Selma negou ter cometido crime eleitoral. “Eu tive muita chance de me corromper. Se eu quisesse fazer coisa errada, eu teria feito lá atrás [quando era juíza], que daria menos trabalho. Eu vim aqui [ser candidata] para acabar com esses esquemas”, declarou. “Eu não quero minha honra manchada. Entrei limpa e quero sair limpa desta campanha”, completou.

Ela voltou a tachar o adversário Sebastião Carlos (Rede) de “laranja” e afirmou ter sido alvo de uma armação política. Sebastião denunciou Selma por caixa dois e abuso de poder econômico ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), à Polícia Federal, ao Ministério Público Eleitoral e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

(Atualizada às 19h15)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPresidente do TJ vai a Vila Rica acompanhar atentado contra juiz
Próximo artigoLinhas pós-pagas crescem 13,5% em 12 meses, diz Anatel

O LIVRE ADS